Sociedade

Ministro canadiano elogia emigrantes portugueses

O ministro das Finanças de Ontário, no Canadá, o lusodescendente Charles Sousa, revelou, este domingo, que a província deverá quintuplicar o número de vagas para imigrantes, aproveitando a ocasião para deixar um elogio à "muita qualidade" portuguesa.
Versão para impressão
O ministro das Finanças de Ontário, no Canadá, o lusodescendente Charles Sousa, revelou, este domingo, que aquela província deverá quintuplicar o número de vagas para imigrantes, aproveitando a ocasião para deixar um elogio à “muita qualidade dos trabalhadores portugueses”. 
 
Atualmente, Ontário tem direito a mil vagas por ano para trabalhadores estrangeiros, mas o objetivo de Charles Sousa é quintuplicar esse número devido às necessidades de mão-de-obra, nomeadamente na área da construção civil.  “Temos vagas de emprego [na província] e sabemos que há muitos imigrantes portugueses. Gostava de os poder ajudar”, afirmou o ministro.
 
Por ocasião do jantar das comemorações dos 60 anos da emigração portuguesa no país, Charles Sousa revelou que está a tentar “aumentar [o número de vagas para] para as cinco mil” e que espera que o país aumente também “de 50 mil para 75 mil” o número de autorização para estrangeiros, sendo que 75% destes casos “devem ser trabalhadores” solicitados pelas empresas canadianas.
 
“Como representantes do Governo da Província de Ontário, sabemos perfeitamente que precisamos de mais imigrantes, principalmente aqueles com o saber, com a noção, a educação, mas também as competências”, declarou, citado pela Lusa. 
 
Segundo Charles Sousa, a chegada ao Canadá de trabalhadores qualificados, caso dos portugueses, permitiria a Ontário “ver crescer a sua economia e competitividade”. “Precisamos de trabalhadores qualificados e Portugal oferece muita qualidade”, defendeu. 
 
Embora a construção civil seja uma das áreas com mais carências, o ministro garantiu que há também lacunas em áreas “académicas, de engenharia e nas minas localizadas no norte de Ontário”. “Precisamos de pessoas que querem trabalhar e os portugueses têm essa preparação”, elogiou.

Processo de entrada no Canadá está mais difícil
 

Apesar do interesse nos trabalhadores portugueses, as novas medidas que o Governo canadiano está a implementar no país vão dificultar a entrada de trabalhadores temporários nacionais, o que está a preocupar a comunidade, já que a obtenção de autorizações vai passar a demorar mais tempo.
 
Fernando Martins, advogado especializado em imigração, explicou à Lusa que “um processo que demorava dez dias, agora demora um mês e meio a dois meses” e esclareceu que as empresas interessadas solicitam autorização aos serviços de recursos humanos e desenvolvimento de competências do Canadá (HRDSC) e que só depois de o processo ser aprovado é que os trabalhadores podem concorrer às vagas.
 
Para o fazer, os portugueses terão, depois da aprovação, de enviar a sua candidatura para a embaixada canadiana em Paris, “pedindo assim a autorização de trabalho, num processo que pode demorar uns três ou quatro meses antes de ser aprovado”, acrescentou o advogado. 
 
Os portugueses naturais dos arquipélagos dos Açores e da Madeira estão, no entanto, em vantagem, já que neste caso o processo demora, em média, menos de metade do tempo em relação ao dos continentais, visto que estes necessitam de um exame médico obrigatório. 

Notícia sugerida por Patrícia Guedes

Comentários

comentários

Pub

Aid Global

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub