A Persian leopard, Panthera pardus saxicolor, at the Lisbon Zoo in Portugal. This species is listed as vulnerable by the IUCN.
Cultura Em Destaque

A maior “arca fotográfica” do mundo

Animais fotografados no Jardim Zoológico de Lisboa e no CIBIO-InBIO do Porto integram exposição mundial - Photo Ark
Versão para impressão
por redação

Patente na Galeria de Biodiversidade do Museu de História Natural e da Ciência da Universidade do Porto, a exposição Photo Ark, do conceituado fotógrafo Joel Sartore, parceiro e colaborador regular da revista National Geographic há mais de 20 anos, recebe seis novas fotografias de espécies em perigo que foram captadas em Portugal, no Jardim Zoológico e no CIBIO-InBIO – Centro de Investigação de Biodiversidade do Porto.

A partir de hoje, 19 de janeiro, o Leopardo-da-pérsia, o Lobo-ibérico, a Girafa-de-angola, a Impala-de-face-negra, a Lebre-ibérica e a Serpente-rei-oriental juntam-se a outras 40 espécies já presentes na exposição Photo Ark. Para além das fotografias, a mostra vai contar também com um vídeo de “behind the scenes” da sessão de Joel Sartore em Portugal, com toda a logística que o fotógrafo utilizou para captar na sua lente animais tão distintos como a enorme Girafa-de-angola e o Leopardo-da-Pérsia.

Para Vera Pinto Pereira, Executive Vice-President Portugal e Espanha da National Geographic Partners, “este é um projeto muito especial da National Geographic e foi um orgulho poder contribuir para o crescimento do Photo Ark. Ao saber que estavam em Portugal algumas espécies que o fotógrafo Joel Sartore procurava, sempre tivemos a ambição de ter essas fotografias na exposição para o público português assumir de forma mais premente a missão deste projeto como uma missão também sua.”

Na sua missão de documentar 12 mil espécies em perigo, o fotógrafo Joel Sartore encontrou em Portugal algumas espécies que procurava para integrarem o projeto Photo Ark. Para além das seis fotografias que vão integrar a exposição, ao todo são 12 os animais fotografados em Portugal que integram o projeto global. Joel Sartore também captou com a sua lente o Leão-africano, o Macaco-de-nariz-branco, o Caimão-anão, a Tartaruga-de-lama-de-adanson, a Gralha-preta e o Milhafre-preto, que se juntam às mais de 7.500 espécies já reunidas na maior “arca fotográfica” do mundo.

A exposição Photo Ark está patente na Galeria de Biodiversidade do Museu de História Natural e da Ciência da Universidade do Porto, pelas mãos da National Geographic, até 29 de abril. Esta mostra engloba 47 fotografias, infografias e vídeos das mais diferentes espécies, através dos quais os visitantes podem ficar a saber mais sobre os animais representados e olhá-los nos olhos, sabendo que são espécies únicas e que, por isso mesmo, devem ser protegidas.

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub