Literatura

Livros: A Loja dos suicídios inspira peça de teatro

NULL
Versão para impressão
“Loja dos Suicídos” conta a estória de um negócio de família que envolve a venda de todos os ingredientes possíveis para a prática do suicídio, nas suas mais diversas formas: corda, pistolas, facas, venenos e toda uma panóplia de produtos mortíferos. Este romance de Jean Teulé inspirou a peça de teatro, com o mesmo nome, que esteve este mês em cena no Teatro Tivoli, em Lisboa.

São cinco as personagens que compõem esta família atípica que gere a loja há várias gerações: os pais, profissionais, comerciantes; o filho primogénito, deprimido crónico mas extremamente criativo no seu domínio; a irmã, uma adolescente inadaptada; e finalmente o irmão mais novo, o grão de areia na engrenagem deste comércio lúgubre: é que ele se atreve a sorrir e a ser… optimista.

Com uma ambiência digna de um filme de Tim Burton, “A Loja dos Suicídios” é uma comédia negra futurista que invoca o grande adversário da família Tuvache e do seu sinistro empreendimento: a alegria de viver.
 
Sobre o autor

Jean Teulé é um homem de múltiplas facetas. Nasceu em 1953 e começou pela banda desenhada, antes de enveredar pelo universo do pequeno ecrã. É, porém, a escrita que o preenche. Publicou romances como Rainbow pour Rimbaud (1991), que ele próprio adaptou ao cinema, Darling (1998), também adaptado ao cinema, Longues Peines (2001) ou O’Verlaine (2004), entre outros. Foi durante as pesquisas sobre a vida de Verlaine que descobriu uma revista chamada «A Loja dos Suicídios», fundada por um grupo de poetas do século XIX, que inspirou o seu romance com o mesmo nome.

Comentários

comentários

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório