Desporto

Lisboa: Meia-maratona eleita por ‘lenda do desporto’

A meia-maratona de Lisboa é uma das provas de excelência para David Weir, a lenda do desporto paralímpico, cujo currículo conta já com dezenas de páginas de conquistas, distinções e recordes.
Versão para impressão
A meia-maratona de Lisboa é uma das provas de excelência para David Weir, a lenda do desporto paralímpico, cujo currículo conta já com dezenas de páginas de conquistas, distinções e recordes. 
 
Depois de arrecadar títulos como campeão de 800, 1.500, 5.000 metros e de vencer a maratona nos Jogos Paralímpicos de Londres, em 2012, Weir é uma das presenças mais desejadas e requeridas nas provas internacionais. No entanto, o estatuto de estrela leva-o a ser exigente com aquelas em que participa, escolhendo-as a dedo e de acordo com uma série de critérios. 
 
A meia-maratona de Lisboa, a realizar-se no próximo domingo, para além de ser uma das eleitas, é também uma competição onde o atleta britânico faz questão de vencer. “É uma boa corrida, tem bom tempo e está muito bem organizada”, defende à Lusa. “É uma boa corrida de preparação para a Maratona de Londres”. 
 
Mas não é só a prova lisboeta que conquista Weir, em Portugal. As próprias condições climatéricas levaram-no a fazer do país a sua segunda casa, já que é estável ao ponto de poder “sair e treinar todos os dias”. O atleta conta que tem estado em Monte Gordo, no Algarve, onde consegue “acumular muitos quilómetros na estrada, por o tempo estar tão bom e quente”.
 
Membro da Ordem do Império Britânico, David Weir foi ainda bicampeão nos Jogos Paralímpicos de Pequim, em 2008, arrecadando o recorde de vitórias na Maratona de Londres (seis). Agora, em Lisboa, estabelece como objetivo ser vencedor no segmento de cadeiras de rodas, como também ser um dos mais rápidos entre os mais rápidos. 
 
Apesar de, até hoje, ter conseguido conquistar tudo aquilo a que se tem proposto, o campeão paralímpico está longe de estar satisfeito. “Ainda há muito mais coisas para ganhar e ainda há muitos objetivos para cumprir”, garante.

“Provavelmente, já não tenho muito mais vida em mim para continuar por muito tempo, por isso preciso de ter pequenos alvos este ano e alguns deles são ganhar em Lisboa outra vez, porque é uma prova rápida, e a maratona de Londres”, acrescenta.
 

Para Weir, que começou a participar em corridas de cadeiras de rodas para mostrar aos irmãos, “grandes pugilistas”, e aos amigos, “todos doidos por futebol”, que era excelente em alguma coisa, o segredo de tanto sucesso está precisamente na capacidade de desenhar novas metas a cada momento. 
 
Como homem sem medos, David Weir incentiva todos a correr, acreditando que “toda a gente pode fazer uma maratona ou uma meia-maratona”, que no fundo não são mais do que um dos tópicos na lista de coisas a fazer antes de morrer.
 
“Encarem-na de uma maneira descontraída. Espero que tenham feito todo o treino antes. Simplesmente divirtam-se, porque é uma corrida fantástica”, concluiu o homem, de 33 anos, que encontrou nas corridas de cadeiras de rodas o seu sítio do Mundo.

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub