Cultura

Lisboa: Bairro Alto comemora meio milénio de existência

Este domingo, o Bairro Alto, em Lisboa, comemorou cinco séculos de existência com um bolo-rei de 85 metros estendido ao longo da Travessa da Queimada. O evento contou ainda com discursos das várias entidades ligadas ao bairro lisboeta e o fado como s
Versão para impressão
Este domingo, o Bairro Alto, em Lisboa, comemorou cinco séculos de existência com um bolo-rei de 85 metros estendido ao longo da Travessa da Queimada. O evento contou ainda com discursos das várias entidades ligadas ao bairro lisboeta e o fado como som ambiente de uma festa que já vem desde Abril.
 
 Os parabéns “ao menino Bairro Alto” começaram a ser cantados pelos marchantes do Lisboa Clube Rio de Janeiro, vestidos a rigor para aquela ocasião, mas pouco depois também as vozes da população se faziam ouvir. 
 
Depois de apagadas as velas, foi altura de partir o longo bolo-rei em fatias e distribuí-las por aqueles que ali estavam para celebrar “meio milénio de Bairro Alto”. Uma vez cessados os vivas àquela zona da capital, o fado dominou as ruas, enfeitadas com balões dourados com o número 500. 
 
As comemorações do 500º aniversário do bairro arrancaram em Abril, com iniciativas de associações de moradores, alfarrabistas e livreiros, do Lisboa Clube Rio de Janeiro, da Irmandade de São Roque e do Museu de Farmácia.
 
Com o apoio de mais 20 entidades (entre eles a Associação de Comerciantes do Bairro Alto, a Câmara de Lisboa e a Santa Casa da Misericórdia) e a criação de uma 'comissão de comemorações', as mesmas têm vindo a ser assinaladas com mercados, passeios, tertúlias, cinema, teatro e música. Além disso, houve ainda uma lotaria da Santa Casa dedicada ao aniversário e uma corrida de atletismo pelo bairro.
 
No domingo, até ao apagar das velas houve visitas guiadas, ciclos de cinema, lançamentos de livros e DVD e vários concertos de música ao vivo. Citado pela Lusa, Luís Paisana, da Associação de Moradores do Bairro Alto, avança que o objetivo era “mostrar a perspetiva de um bairro com património e cultura, rodeado de História e monumentos”. 
 
Já para Carla Madeira, presidente da Junta de Freguesia da Misericórdia, os “500 anos do Bairro Alto permitiram divulgar o bairro para o resto da cidade de Lisboa e até para o resto do país”, pelo que as comemorações pelo meio milénio “deviam continuar, para divulgar o que de bom é feito no bairro e não só os seus problemas”.

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub