Cultura

Lisboa: Antigo hospital transformado em polo cultural

O antigo Hospital do Desterro, em Lisboa, vai ganhar uma nova vida. O espaço vai ser transformado num polo cultural e social onde vai ser possível frequentar um clube de discussão, almoçar num refeitório comunitário ou mesmo cultivar uma horta urbana
Versão para impressão
O antigo Hospital do Desterro, em Lisboa, vai ganhar uma nova vida. O espaço vai ser transformado num polo cultural e social onde vai ser possível frequentar um clube de discussão, participar em 'workshops', almoçar num refeitório comunitário ou mesmo cultivar uma horta urbana.

Esta é a proposta do projeto que pretende reabilitar e reutilizar o edifício do antigo hospital lisboeta, transformando-o num espaço público, que será gerido pelo grupo de investimentos mobiliários Mainside.

O objetivo é transformar o local numa “grande escola, um campus de conhecimento”, virado para os lisboetas e para quem visita a capital, explicou José Carvalho, presidente do conselho de administração da empresa, no comunicado da autarquia de Lisboa.

“Os visitantes poderão cultivar uma horta urbana, frequentar um clube de discussão, almoçar num refeitório comunitário ou assistir a aulas ou workshops, entre muitas outras experiências desenvolvidas por várias empresas e organizações”, salienta José Carvalho.

As obras de requalificação do Hospital do Desterro têm início esta quarta-feira, sendo de esperar que o novo espaço seja aberto ao público ainda este ano. O presidente da autarquia de Lisboa, António Costa, considera o projeto estratégico para a cidade, tendo em conta a sua localização no eixo de intervenção prioritário Martim Moniz – Praça do Chile.

“Se continuarmos a fazer este trabalho, certamente recuperaremos para a cidade, muitos habitantes, muitos postos de trabalho e certamente seremos capazes de produzir mais riqueza para a cidade de Lisboa”, explica o autarca da câmara municipal.

O projeto é desenvolvido no âmbito de uma parceria, assinada esta terça-feira, pela Câmara Municipal de Lisboa, a empresa Estamo, que gere o património imobiliário do Estado, e a Mainside, que vai assumir a gestão do espaço.

Notícia sugerida por Vítor Fernandes

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub