Ambiente

Leopardos ‘portugueses’ dão à luz na Rússia

O casal de leopardos-da-pérsia enviado pelo Zoo de Lisboa para a Rússia deu à luz duas crias num centro de reprodução do Cáucaso. Este é o primeiro caso de sucesso, em 50 anos, na repopulação desta espécie que se encontra extinta naquele país.
Versão para impressão
O casal de leopardos-da-pérsia enviado pelo Zoo de Lisboa para a Rússia deu à luz duas crias num centro de reprodução do Cáucaso. Este é o primeiro caso de sucesso, em 50 anos, na repopulação desta espécie que se encontra extinta naquele país.
 
Os progenitores, Zadig e Andrea, foram enviados em Outubro do ano passado pelo Jardim Zoológico de Lisboa para o Centro de Reprodução e Reintrodução do Parque Natural de Sochi, na Rússia, no âmbito do Programa de Reintrodução do Leopardo-da-Pérsia. 
 
Em comunicado enviado ao Boas Notícias, o Zoo de Lisboa avança ter sido a primeira instituição zoológica no mundo a transferir um casal de leopardos-da-Pérsia para a Rússia, tendo sido selecionado para colaborar neste programa, por apresentar os melhores índices de reprodução desta subespécie felina a nível europeu. 
 
Zadig e Andrea foram o primeiro casal do grupo do projeto a reproduzir, dando à luz duas crias, cujo sexo é ainda desconhecido, no passado dia 12 de Julho. A família será, agora, reintroduzida no seu habitat natural. Depois de desenvolver as técnicas necessárias de sobrevivência, espera-se que deem início a uma nova população destes felinos nas montanhas do Cáucaso.
 

 
Simbolismo do Leopardo-da-Pérsia na Rússia

O Leopardo-da-Pérsia é um animal de grande estima e simbolismo para a Rússia, sendo inclusivamente o logótipo oficial dos Jogos Olímpicos de Inverno, que irão decorrer em Sochi, em 2014. 
 
Segundo a União Internacional para a Conservação da Natureza, o Leopardo-da-Pérsia é uma das subespécies mais ameaçadas. A sua população total em estado selvagem está estimada entre 870 a 1.290 indivíduos e a sua distribuição tem vindo a ser cada vez mais fragmentada. 
 
A existência do Leopardo-da-Pérsia corre perigo devido à redução do 'habitat' natural, à caça para o comércio ilegal da pele e dos ossos e ainda à perseguição direta que lhe é feita, por ser considerado um predador do gado doméstico e uma ameaça às povoações.
 
O Programa de Reintrodução do Leopardo-da-Pérsia foi criado pelo Ministério dos Recursos Naturais e Ambiente da Federação Russa e visa a conservação desta subespécie, que já não existe em estado selvagem naquele país.

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub