Saúde

Jovens criam preservativo que deteta doenças sexuais

Um grupo de adolescentes da Isaac Newton Academy, em Illford (Reino Unido), criam um preservativo que muda de cor quando deteta alguma doença sexualmente transmissível.
Versão para impressão
Um grupo de adolescentes britânicos criou um preservativo que muda de cor quando deteta alguma doença sexualmente transmissível.

Os estudantes da Isaac Newton Academy criaram um preservativo, à primeira vista convencional, mas que tem a capacidade de detetar, durante a relação sexual, doenças sexualmente transmissíveis (DST). Quando isso acontece, o preservativo muda de cor para alertar os utilizadores.

O inovador produto foi batizado de S.T. Eye e tem como principal função combater as crescentes taxas de infeção provocadas pelas DSTs. 

“Criámos o S.T.Eye como uma nova forma de deteção de DST, para tornar o o futuro da próxima geração melhor. Acreditamos que vamos fazer com que as pessoas ajam de uma forma muito mais responsável”, diz Daanyaal Ali, de 14 anos.

O preservativo S.T. Eye contém, em si mesmo, uma camada de moléculas que ficam fluorescentes quando entram em contacto com bactérias ou vírus associados às DSTs, como por exemplo, sífilis, clamídia, herpes genital e Papiloma Vírus Humano (HPV).  

Se for detetado herpes, o preservativo ficará amarelo, se for detetada sífilis ficará azul, se for clamídia, ficará verde e no caso do Papiloma vírus humano (HPV), o preservativo ficará roxo.

Este ano, o preservativo S.T. Eye venceu o Prémio TeenTech na categoria de Saúde, num concurso que consiste em distinguir jovens entre os 11 e os 16 anos que tenham construído, em equipa, projetos inovadores.

Neste momento, o grupo de adolescentes já foi abordado por um fabricante de preservativos, garante o site oficial da TeenTech, de forma a estudar a comercialização do produto.

Comentários

comentários

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório