Mundo

Jovem raptado encontra pais graças ao Google Maps

Um jovem chinês raptado em criança acaba de reencontrar os pais biológicos depois de 23 anos sem qualquer contacto com a família. Luo Gang garante que voltar a ver os pais só foi possível graças ao Google Maps.
Versão para impressão
Um jovem chinês raptado em criança acaba de reencontrar os pais biológicos depois de 23 anos sem qualquer contacto com a família. Luo Gang, que desapareceu quando tinha apenas cinco anos, garante que voltar a ver os pais só foi possível graças ao Google Maps, que o ajudou a localizar a zona da sua antiga casa, na cidade de Guang'an.
 
Gang, hoje com 28 anos, foi raptado quando se dirigia para o jardim de infância e, desde então, os seus pais perderam-lhe o rasto. Apesar dos muitos esforços para o encontrar, conforme contaram ao jornal South China Morning Post, as tentativas não foram bem-sucedidas e acabaram por desistir. 
 
A cerca de 1.500 quilómetros dali, na província de Fujian, o chinês cresceu no seio de outra família – que, segundo diz, sempre o amou e tratou como um verdadeiro filho – mas nunca esqueceu o desejo de voltar a reencontrar os progenitores. “Todos os dias, antes de ir para a cama, revivia a vida que levava na minha velha casa. Por isso, nunca esqueci”, confessou.
 
Porém, a única memória que Gang tinha a respeito da localização do seu velho lar era a imagem de duas pontes. Um dia, o jovem decidiu desenhar um rascunho de um mapa a partir dessa imagem e publicou-o no site chinês “Bring Lost Babies Home”, que se dedica à localização de crianças desaparecidas com a ajuda de voluntários. 
 
Pouco depois, recebeu uma resposta de um voluntário com uma informação preciosa, dizendo-lhe que um casal de uma pequena vila de Guangan – que correspondia à descrição feita no desenho – tinha perdido um filho há exatamente 23 anos, por volta da mesma altura em que Gang desapareceu. 
 
O jovem começou, então, a procurar fotos da vila de Sichuan e apercebeu-se de que o local lhe parecia familiar. Com a ajuda da versão satélite do serviço Google Maps, conseguiu fazer “zoom” em várias partes da vila e acabou por reconhecer as duas pontes de que se lembrava.
 
Entretanto, Gang e os pais conseguiram entrar em contacto e reencontraram-se, recentemente, em Sichuan, num momento pleno de emoção. “Nos últimos anos não conseguia evitar chorar sempre que pensava no meu filho, que podia estar a passar fome e sem roupas para vestir”, confidenciou a mãe, citada pelo South China Morning Post. 

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub