Ambiente

Jovem quer acabar com beatas da universidade

Transformar a Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP) num local sem beatas é o grande objetivo de Daniel Freitas, estudante no Mestrado em Engenharia de Serviços e Gestão.
Versão para impressão

Daniel Freitas, mestrando da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP), encontrou uma maneira para transformar aquela universidade num local sem beatas. A proposta venceu a edição de 2016 do concurso Mais Ideias Sustentáveis.

A ideia é simples mas funciona, como provam experiências noutras países. A proposta é colocar painéis transparentes para colocar as beatas sendo que na sua superfície estas caixas têm escritas frases que desafiam a participação da comunidade, utilizando as próprias beatas para a votação.

Na prática o que acontece é que, perante uma pergunta apelativa, o fumador coloca a beata no recipiente destinado à resposta escolhida. 


A ideia de Daniel foi inspirada por mecanismos já existentes noutras cidades. Este, por exemplo, encontra-se na cidade de Londres e pede às pessoas para votarem entre Ronaldo e Messi. 

A comunidade académica da FEUP é composta por cerca de 9.000 pessoas. Isto significa que, de acordo com a média do nosso país, cerca de 25% destes (2.000 pessoas) são fumadores.

10 mil beatas por semana

Partindo do princípio que cada pessoa fuma três cigarros por dia na Faculdade e que 30% dessas pessoas atira as beatas para o chão, isto significa 2.000 beatas diárias a poluírem a faculdade, num total de 10.000 beatas por semana e 40.000 por mês, se considerarmos só os dias úteis.

Para manter os espaços académicos mais limpos é necessário um grande esforço de limpeza. É exatamente aqui que entra a ideia “FEUP sem beatas”, que quer apostar na prevenção para evitar a ação à posteriori. Esta ideia já foi implementada em cidades como Londres e Madrid em espaços de maior concentração de fumadores com boas taxas de sucesso.

Daniel Freitas alerta para o problema sentido na Faculdade de Engenharia. “Por muito eficaz que a limpeza de beatas possa ser no sentido de ‘esconder’ este problema, cabe-nos, enquanto cidadãos, promover práticas inteligentes, higiénicas e ambientalmente responsáveis.”


Daniel Freitas (à direita) a receber o prémio Mais Ideias Sustentáveis

Adicionalmente, pretende criar-se uma campanha de sensibilização para o combate ao problema, com a distribuição gratuita de cinzeiros portáteis na FEUP, de modo a reduzir a quantidade de beatas no chão de maneira descontraída e prática.

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub