Ciência

Jovem neurocientista luso recebe 12.500 euros

Tiago Monteiro, do Centro de Neurociências da Universidade de Coimbra, foi premiado pelo Programa de Estímulo à Investigação, da Gulbenkian, para estudar o papel de certos compostos em patologias cerebrais resultantes da privação de oxigénio.
Versão para impressão
Tiago Monteiro, do Centro de Neurociências e Biologia Celular (CNC) da Universidade de Coimbra, foi premiado pelo Programa de Estímulo à Investigação, da Fundação Calouste Gulbenkian, para estudar o papel de certos compostos em patologias cerebrais resultantes da privação de oxigénio.

A distinção e o prémio, no valor total de 12.500 euros, serão entregues numa cerimónia oficial da Gulbenkian, que vai decorrer no próximo dia 24 de Fevereiro pelas 15 horas.

Deste montante, 2.500 euros vão para o investigador e 10 mil para o CNC, de forma a suportar os encargos com a execução da investigação, explica a Universidade de Coimbra em comunicado enviado ao Boas Notícias.

O objetivo deste estudo será investigar as reações de compostos como “o nitrito no cérebro, envolvendo a sua medição no espaço extracelular e em tempo real, com um microbiosensor, juntamente com a medição do fluxo sanguíneo cerebral com sonda laser”, explica Rui Barbosa, investigador do CNC responsável por acolher o projeto, citado pelo mesmo comunicado.

O investigador acresenta ainda que posteriormente, “serão realizadas experiências in vivo com os microbiosensores implantados no cérebro de ratos, que permitirão modular a sua atividade neuronal”.

Os resultados desta investigação “podem contribuir para esclarecer o papel do nitrito, do ascorbato e do óxido nítrico na função vascular do cérebro, promovendo o fluxo sanguíneo em estados de privação de oxigénio”, abrindo assim “a possiblidade de novas abordangens terapêuticas para determinadas patologias cerebrais”, reforça Rui Barbosa.

O Programa de Estímulo à Investigação da Fundação Calouste Gulbenkian distingue, todos os anos, várias propostas de investigação em áreas científicas como Matemática, Física, Química e Ciências da Terra e do Espaço.

Esta distinção destina-se a jovens, com menos de 26 anos, que desenvolvam trabalhos de investigação em instituições portuguesas.

Comentários

comentários

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório