Ciência

Jovem inglês cria máquina caseira para analisar ADN

Com apenas 17 anos, Fred Turner já tem uma vaga garantida na Universidade de Oxford. Para perceber o porquê de o irmão ser ruivo e ele não, criou o seu próprio laboratório genético e tornou-se o Jovem Engenheiro do Ano do Reino Unido.
Versão para impressão
Com apenas 17 anos, Fred Turner já tem uma vaga garantida na Universidade de Oxford. Para perceber porque motivo o seu irmão é ruivo e ele não, Fred criou o seu próprio laboratório genético na cave e tornou-se o Jovem Engenheiro do Ano do Reino Unido.
 
As constantes insinuações, sobretudo dos colegas de escola, de que Fred e o irmão, Gus, eram filhos de pais diferentes estão na origem de tudo. Decidido a provar que as diferenças físicas estavam nos genes de cada um, mas sem orçamento para comprar o material e aparelho necessário, deitou mãos à obra e montou o seu próprio laboratório  na cave.
 
À partida, para fazer um teste genético ao irmão, precisava de uma máquina com tecnologia de reacção em cadeia da polimerase. Através desta técnica, é possível seleccionar e ampliar os genes e zonas específicas de amostras de ADN, de forma a serem analisados, sequenciados e testados. 
 


O valor comercial dos modelos mais básicos destes equipamentos rondam os 2.300 e os 3.300 euros. Mas o jovem inglês conseguiu criar o seu próprio modelo, usando peças de electrodomésticos velhos, como, por exemplo, um leitor de cassetes de vídeo.
 
A invenção permitiu-lhe analisar em detalhe o ADN do irmão e provar a toda a gente que as diferenças na cor do cabelo se deve a uma mutação genética. “Há um gene chamado MC1R que, se sofrer uma certa mutação, torna as pessoas ruivas”, explicou Fred em declarações à ITV.
 
Depois deste sucesso, o estudante decidiu concorrer à edição de 2013 da “National Science + Engineering Competition”. A competição é anual e premeia jovens entre os 11 e os 18 anos, com projetos que se destaquem na área da Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática. Fred foi considerado o Jovem Engenheiro do Ano do Reino Unido.
 
A Universidade de Oxford já lhe garantiu uma vaga e, em Setembro, o jovem britânico vai começar a estudar Bioquímica. Fred diz que, no futuro, gostava de comercializar, sob a forma de kit de montagem, a máquina de análise e cópia genética que criou em casa e de montar o seu próprio negócio.

Notícia sugerida por Diana Rodrigues e Maria Manuela Mendes

Comentários

comentários

Pub

Aid Global

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub