Fitness & Bem-estar

Jornal português promove curso online de mandarim

Em parceria com a Universia, o jornal Público vai promover um curso online de Mandarim, composto por dez módulos e com a duração aproximada de 60 horas.
Versão para impressão
Em parceria com a Universia, o jornal Público vai promover um curso online de Mandarim, composto por dez módulos e com a duração aproximada de 60 horas. O acesso à formação é feito através da aquisição de um cartão com um código (por 0,40€) que sairá todos os sábados com a publicação.
 
Cada cartão contém um código secreto no verso, que dá acesso a um módulo do curso. Para aceder, basta entrar no site http://cursodemandarim.universia.pt e efetuar o registo criando um nome de utilizador e definindo uma palavra-passe que, posteriormente, serão utilizados até ao final do curso.
 
Depois, basta indicar o código do cartão no campo respetivo e, assim que o sistema o validar, o leitor será redirecionado para o módulo comprado. Para os módulos seguintes basta inserir o nome de utilizador e a palavra-passe e validar o novo código.
 
Além do curso, o Público vai também oferecer a quem adquirir o primeiro módulo uma assinatura semanal digital do jornal. Para usufruir da oferta, o leitor deve enviar um e-mail para publico.assinaturas@publico.pt com o código secreto do cartão comprado, recebendo, depois, uma resposta com os dados de acesso à assinatura.

Participação no curso garante certificado da Universia
 

A “frequência” do curso online de Mandarim, que corresponde ao Nível I do Exame de Proficiência em Língua Chinesa – HSK dá aos participantes um certificado emitido pela Universia, a maior rede de universidades de língua espanhola e portuguesa, que atua como alavanca impulsionadora de projetos de excelência de grupos universitários.   
 
Atualmente, a língua chinesa é a mais utilizada no mundo, por uma população que ultrapassa, na sua pátria, os 1,3 mil milhões de habitantes. Nos últimos anos, o interesse pela língua chinesa, em particular, pelo mandarim, tem crescido no mundo ocidental. 
 
Entre 2004 e 2012, foram criados, em todo o mundo, mais de 300 Institutos Confúcio – institutos não lucrativos cujo objetivo é promover a língua e a cultura da China e dar apoio ao ensino da língua chinesa a nível internacional – em 94 países e espera-se que, até ao final desta década, a instituição esteja ainda mais disseminada. 
 
Constituída por mais de 80 mil caracteres, esta língua é utilizada 1,2 mil milhões de pessoas, o que a torna a mais falada em todo o mundo. Em Portugal, o número de interessados em aprender o mandarim tem vindo a crescer. Em 1991, o Curso de Chinês na Missão de Macau era quase o único existente em Portugal, mas hoje em dia, os cursos de chinês encontram-se por todas as partes do país.

Clique AQUI para saber mais sobre esta iniciativa.

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub