Negócios e Empreendorismo

Jerónimo Martins aumenta lucros em 32%

NULL
Versão para impressão

O Grupo Jerónimo Martins anunciou que nos primeiros nove meses do ano registou um aumento de 32% de lucro, face a igual período do ano passado. A cadeia de lojas Pingo Doce e Recheio, em Portugal, tiveram margens de crescimento positivas, mas foram as vendas da Biedronka, na Polónia, que mais contribuíram para estes valores. O grupo anunciou ainda que, em breve, vai estar presente na Colômbia.

As três lojas da Jerónimo Martins mantiveram a tendência de crescimento verificada na primeira metade do ano e conseguiram resultados acima do esperado, no que respeita ao volume de vendas. O crescimento traduziu-se num resultado líquido de 256 milhões de euros, informa o relatório da cadeia alimentar, disponível na Comissão do mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

A maior surpresa veio da Biedronka, o investimento da Jerónimo Martins na Polónia e a “maior prioridade estratégica do Grupo”, lê-se no comunicado. As vendas cresceram 25,3%, resultado da abertura de 54 novas lojas no país.

Em Portugal, “a deterioração dos níveis de consumo continuou a refletir-se no mercado alimentar. A inflação alimentar no mercado, nos primeiros nove meses do ano, em relação ao mesmo período do ano anterior, cifrou-se em 1,2%”. A cadeia de lojas Pinto Doce registou um crescimento de 4,3% e o Recheio aumentou as suas vendas em 4,8%, resultado de uma nova plataforma de food service.

No total, a Jerónimo Martins anunciou um total de vendas consolidadas de 7.320 milhões de euros, o que equivale a um aumento de 15.6% face aos primeiros nove meses de 2010.

“Em Portugal, onde a situação macroeconómica permanece muito frágil com significativo impacto no sentimento geral e no consumo, o Pingo Doce e o Recheio continuam a reforçar as respetivas quotas de mercado, dando prova da grande resiliência dos respetivos modelos de negócio. O forte desempenho em ambos os países confirma a perspetiva muito positiva do Grupo em relação ao crescimento de vendas e resultados para o ano de 2011”, disse Pedro Soares dos Santos, CEO da empresa.

 “O Grupo acredita que o Pingo Doce e o Recheio estão preparados para continuar a aumentar as suas quotas de mercado, fruto de uma já provada capacidade de resposta à alteração dos hábitos de consumo alimentar”, lê-se no relatório. Além dos valores positivos nas vendas, a Jerónimo Martins conseguiu também reduzir a sua divida em 240 milhões de euros.

O Conselho de Administração anunciou na reunião realizada de 25 a 26 de Outubro que o próximo passo é abrir novas lojas na Colômbia, país escolhido como novo mercado para entrar.

Para ler o relatório completo, clique aqui.
 

Comentários

comentários

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório