Ambiente

Jardim de Beja acolhe árvore “jurássica”

O Jardim Público de Beja reabre ao público na próxima segunda feira com uma nova espécie entre o seu coberto vegetal. Trata-se de um clone do pinheiro-de-wollemi, uma árvore do tempo dos dinossauros, oriundo do Parque Nacional de Wollemi, na Austráli
Versão para impressão
O Jardim Público de Beja reabre ao público na próxima segunda feira com uma nova espécie entre o seu coberto vegetal. Trata-se de um clone do pinheiro-de-wollemi, uma árvore do tempo dos dinossauros, oriundo do Parque Nacional de Wollemi, na Austrália.

De acordo com o jornal Público, a árvore – uma das poucas existentes na Península Ibérica – é um dos clones produzidos na Austrália a partir dos cerca de 100 exemplares selvagens adultos que restam.

A página na Internet da Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica refere que a espécie sobreviveu a 17 Idades do Gelo e assistiu à génese e à extinção maciça dos dinossauros. Até 1994, ano em que um botânico amador descobriu o pinheiro-de-wollemi por acaso, julgava-se que a árvore já estaria extinta há dois milhões de anos.

Ao Público, o vereador responsável pelo pelouro dos espaços verdes de Beja, José Velez, adianta que o renovado Jardim Público de Beja terá um trilho geológico e um borboletário, entre outras novidades.

As obras de requalificação do Jardim representam um investimento de um milhão de euros. Os equipamentos já existentes (parque infantil, pavilhão polidesportivo, quiosque, casas de banho e os três lagos) foram recuperados e as instalações elétricas foram substituídas. Foram ainda instalados um sistema de rega automática e equipamentos de manutenção física para idosos.

[Notícia sugerida pela utilizadora Elsa Vieira]

Comentários

comentários

Etiquetas

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub