Inovação e Tecnologia

Investigadores nacionais criam baterias de papel

Um grupo de investigadores da Universidade Nova de Lisboa (UNL) inventou uma forma de criar baterias de papel que armazenam energia a partir do vapor de água existente no ar e que podem servir para alimentar telemóveis e outros dispositivos eletrónic
Versão para impressão
Um grupo de investigadores da Universidade Nova de Lisboa (UNL) inventou uma forma de criar baterias de papel que armazenam energia a partir do vapor de água existente no ar e que podem servir para alimentar telemóveis e outros dispositivos eletrónicos como tablets ou consolas.

A tecnologia foi desenvolvida nos laboratórios do Cenimat, departamento da Faculdade de Ciências e Tecnologias da UNL e liderado por Elvira Fortunato e Rodrigo Martins.

De acordo com o jornal Expresso, os cientistas inventaram também as primeiras biobaterias, que são carregadas pelos fluidos do corpo humano, como suor e plasma sanguíneo, e que se destinam a dispositivos como pacemakers.

Nas baterias de papel tudo começa com um vulgar papel de escrita, mas nas biobaterias é necessário um papel sintético que não se degrade no interior do corpo humano.

O processo de carregamento das baterias de papel é automaticamente iniciado nos locais com mais de 40% de humidade na atmosfera.

Clique aqui para ver um vídeo sobre como se processam estas baterias.

[Notícia sugerida pela utilizadora Teresa Peixe e Vítor Fernandes]

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub