Saúde

Investigadores do IPATIMUP premiados pela MERCK

Uma equipa de investigadores do Instituto de Patologia e Imunologia Molecular da Universidade do Porto (IPATIMUP) receberam o 2º Prémio ACS/Merck Serono em Epidemiologia do Cancro pelo trabalho "Irradiação por Tinea Capitis e Risco de Cancro", inicia
Versão para impressão
[Fotografia: As investigadoras Paula Soares, Dina Pereira e Paula Boaventura]

Uma equipa de investigadores do Instituto de Patologia e Imunologia Molecular da Universidade do Porto (IPATIMUP) receberam o 2º Prémio ACS/Merck Serono em Epidemiologia do Cancro pelo trabalho “Irradiação por Tinea Capitis e Risco de Cancro”, iniciado em 2006.

O Prémio é uma iniciativa do Alto Comissariado da Saúde, Coordenação Nacional para as Doenças Oncológicas e Merck Serono. Paula Boaventura, Dina Pereira, Ana Paula Ferreira e José Manuel Gomes são os investigadores a quem o júri decidiu atribuir, por unanimidade, o prémio no valor de 75 mil euros, e que permitirá, de acordo com os investigadores, continuar o estudo até aqui desenvolvido.

O estudo teve como objetivo a deteção de possíveis sequelas, resultantes da utilização de raios X no tratamento da tinea capitis (doença causada por fungos vulgarmente conhecida por “tinha”).

Segundo uma nota informativa citada pelo Jornal de Notícias, nos anos cinquenta e sessenta, devido à inexistência de antifúngicos que pudessem ser tomados por via oral, usaram-se os raios X para provocar a queda do cabelo, no intuito de facilitar a aplicação dos tratamentos locais para eliminar o fungo.

Os indivíduos submetidos a este tratamento eram maioritariamente crianças em idade escolar ou pré-escolar e constavam do registo do antigo Dispensário de Higiene Social do Porto.

Foi feita a procura da sua residência atual e proporcionada uma consulta médica gratuita. Os investigadores verificaram que havia neste grupo um aumento do risco de patologia oncológica, nomeadamente de carcinoma da tiróide, de carcinoma basocelular da pele e de meningioma (tumor cerebral benigno geralmente mais agressivo nas pessoas irradiadas).

No plano da Saúde Pública, este projeto teve como prioridade a possibilidade de proporcionar aos visados uma melhoria dos cuidados de saúde, tendo em conta as implicações da irradiação e o facto de a quase totalidade das pessoas desconhecer os riscos do tipo de tratamento a que foi submetida.

O IPATIMUP continua à procura de possíveis indivíduos que tenham desenvolvido este tipo de patologia tumoral e dispõe de uma linha gratuita através do 800 207 370. Registam-se 60 a 70 mil casos no Litoral Norte.

Comentários

comentários

Pub

Aid Global

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub