Inovação e Tecnologia

Investigador do Algarve recebe prémio internacional

NULL
Versão para impressão

Um investigador da Universidade do Algarve foi premiado com o título de Fellowships Graduate Student 2011, prémio atribuído pela instituição norte-americana IEEE Photonics Society (IPS). Bruno Romeira é, assim, o primeiro português a vencer este prémio por um trabalho produzido em Portugal.

O prémio foi atribuído a Bruno Romeira nos Estados Unidos pelos resultados do seu trabalho de doutoramento. O português está desde 2008 a estudar os “circuitos optoeletrónicos integrados não lineares capazes de produzirem sinais óticos e elétricos com níveis de ruído bastante baixos na banda de frequências das micro-ondas”, resume a nota de imprensa da UALG.

Em declarações à Lusa, o investigador explicou que o trabalho permite “simplificar os sistemas de distribuição de sinais de micro-ondas nas redes de nova geração de comunicação e aumentar a largura de banda dos pontos de acessos às redes sem fios”.

Bruno Romeira é natural de Faro e terminou o curso de Física e Química na Universidade do Algarve em 2006. Nos dois anos seguintes fez trabalho de investigação no Centro de Eletrónica, Optoeletrónica e Telecomunicações (CEOT) da instituição.

Desde 2008 que está a desenvolver a sua tese de doutoramento do CEOT do Departamento de Física da Universidade do Algarve, em colaboração com a Universidade de Glasgow (Reino Unido) e com a Universidade de Sevilha (Espanha).

O português revelou à Lusa que o galardão constitui “um enorme orgulho e satisfação” e disse mesmo que não estava à espera de o ter recebido graças à “elevada competitividade” do concurso.

Apesar de em 2007 uma portuguesa ter sido distinguida pelo IEEE Photonics Society, esta foi a primeira vez que um português vence o prémio por um trabalho produzido em Portugal. Maria Ana Cataluna foi distinguida, mas com um trabalho realizado na Universidade escocesa de Saint Andrews.

“Esta distinção tem um sabor especial devido às dificuldades financeiras que existem em Universidades de menor dimensão, como é o caso da UAlg”, frisou Bruno Romeira à Lusa. “As áreas de interesse desta investigação incluem as comunicações óticas utilizando a fibra ótica e outras aplicações, tirando partido dos sinais caóticos na transmissão de informação confidencial”.

O prémio IEEE Photonics Society Graduate Student Fellowship é atribuido a estudantes de doutoramento membros da sociedade IEEE Photonics Society, um rede com mais de sete mil profissionais das áreas da optoeletrónica e da fotónica.

[Notícia sugerida por Teresa Teixeira]

Comentários

comentários

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório