Saúde

INEM investe na diminuição do tempo de socorro

O presidente do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), Miguel Soares de Oliveira, apresentou um relatório de avaliação onde faz o balanço dos últimos seis meses de atividade no cargo que assumiu com o intuito de o tornar mais eficiente.
Versão para impressão
O presidente do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), Miguel Soares de Oliveira, apresentou um relatório de avaliação onde faz o balanço dos últimos seis meses de atividade no cargo que assumiu com o intuito de o tornar mais eficiente.

Para isso, o responsável pretende equipar os serviços do INEM com novas tecnologias nas ambulâncias que serão alargadas aos bombeiros para melhor ajudar quem precisa. “Lançámos concursos para a aquisição de 44 ambulâncias” explicou o presidente, citado pelo Diário de Notícias, acrescentando que pretendem comprar mais seis motas de forma a alargar o projeto a outras regiões do país.

De acordo com o Relatório, o INEM em cooperação com a Coordenação Nacional de Colheita de Órgão para Transplantação vão também assinar um protocolo que permitirá o transporte de órgãos através dos helicópteros do INEM.

O objetivo é rentabilizar os meios disponíveis e tornar os custos mais baratos. “A assinatura do protocolo deverá ser para a semana, disse Miguel Soares de Oliveira, no balanço dos primeiros seis meses como presidente do INEM.

“A Coordenação assume os custos variáveis [implicados na deslocação do aparelho] e o INEM reduz os custos fixos. Este acordo melhora a rede de apoio à transplantação, com mais rapidez na recolha e na transferência para os hospitais e das equipas de colheita”, explicou.

Em tempos de austeridade, o INEM garante que reduziu no primeiro trimestre de 2011, em 28 %, as despesas com horas extraordinárias. Foi ainda proposta a redução de cargos dirigentes de 36 para 21 com o objetivo de diminuir custos.

Miguel Soares de Oliveira, defendeu a necessidade de, em tempos de crise e de “austeridade”, combater os desperdícios.

“Estamos mais do que em sintonia com as medidas de austeridade que o País atravessa”, acrescentando que, “apesar da crise”, o INEM está a “tentar reduzir na má gestão para obter ganhos de operacionalidade”.

Pode consultar o relatório completo clicando aqui.

Comentários

comentários

Etiquetas

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub