Saúde

Implante ocular devolve visão a cegos

Os primeiros testes do implante de retina em pacientes britânicos que sofrem de retinite pigmentosa, doença genética incurável que causa cegueira, foram bem sucedidos.
Versão para impressão
Os primeiros testes do implante de retina em pacientes britânicos que sofrem de retinite pigmentosa, doença genética incurável que causa cegueira, foram bem sucedidos. A confirmação foi anunciada na semana passada pela empresa que desenvolveu o mecanismo, a Retina Implant AG.

Os primeiros implantes deverão abranger, no total, 12 pacientes, e estão a decorrer em Londres, sob a orientação de Tim Jackson e, em Oxford, por Robert MacLaren, ambos cirurgiões óticos.

Desde que receberam o aparelho sem fios, em meados de Abril, os dois primeiros pacientes da experiência começaram a recuperar a visão no dia-a-dia. Os indivíduos puderam detetar luz imediatamente após o microchip ter sido ativado. Ambos são ainda capazes, agora, de localizar objetos brancos em locais escuros.

Num comunicado da Retina Implant, Tim Jackson e Robert MacLaren referem estar entusiasmados com o seu envolvimento “neste implante sub-retinal pioneiro e em anunciar que os primeiros pacientes implantados tiveram sucesso”. Os resultados terão excedido as expectativas dos dois profissionais.

Robert Millar, um dos primeiros pacientes a receber o implante, referiu: “Desde que liguei este aparelho que sou capaz de detetar luz e distinguir os contornos de certos objetos. Até sonhei a cores pela primeira vez em 25 anos, pelo que uma parte do meu cérebro que estava a dormir acordou”.

Equipamento testado em vários países
 
Este equipamento tem estado a ser experimentado nos últimos seis anos. Os pacientes envolvidos receberam microchips de 3x3m2 com 1.500 elétrodos implantados por baixo da retina. Os primeiros resultados, publicados em 2010, mostraram que os pacientes eram capazes de reconhecer objetos estranhos e de ler letras para conseguir formar palavras.

Mais tarde, na Alemanha, os testes mostraram ainda mais melhorias visuais. Os nove pacientes alemães são os que demonstraram melhores resultados até à data, tendo conseguido restaurar praticamente a total capacidade de visão útil. Agora, a Retina Implant está a expandir o estudo à participação de outros países.

“Os implantes no Reino Unido representam um grande passo para a missão da Retina Implant de restaurar a visão dos doentes de retinite pigmentosa em todo o mundo”, disse Walter-G Wrobel, CEO da Retina Implant AG.

“Queremos continuar aquilo que alcançamos de forma a que o aparelho seja submetido para aprovação comercial assim que esta fase da pesquisa esteja terminada”, acrescentou.

Comentários

comentários

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório