Mundo

Idoso norte-americano termina licenciatura aos 94 anos

Anthony Brutto, um senhor de 94 anos de idade acaba de licenciar-se pela West Virginia University (EUA). Anthony entrou na faculdade nos anos 40 e terminou a sua licenciatura 70 anos depois.
Versão para impressão
Anthony Brutto inscreveu-se pela primeira vez na faculdade nos anos 40 mas o destino não queria que concluísse o curso, interrompido, até, pela II Guerra Mundial. Aos 94 anos o norte-americano conseguiu cumprir o seu sonho e acaba de tirar uma licenciatura na West Virginia University (EUA).

É quase tão impressionante como a estória de D. Rosa, a portuguesa que aos 90 anos está a fazer um doutoramento. Do outro lado do Atlântico, com 94 anos, Anthony é um dos licenciados mais velhos (e também o mais antigo) da Universidade de West Virginia e vai juntar-se aos restantes 4.500 estudantes que recebem os diplomas no dia 17 de Maio. 

Natural de Morgantown, Anthony é descendente de uma família de imigrantes italianos e o seu interesse pela arte surgiu cedo, começando a esculpir objetos em madeira numa carpintaria de um dos seus vizinhos.


© West Virginia University 

Um dia, Anthony conseguiu abrir com uma chave de madeira, feita por si, o frasco onde a sua mãe guardava os doces. “E funcionou!”, recorda Anthony, num comunicado emitido pela universidade. A partir desse momento, Anthony percebeu que o seu sonho era desenhar objetos e quis adquirir formação académica para aperfeiçoar as suas técnicas.

Entrou na faculdade em 1939 determinado a fazer uma licenciatura em engenharia. No entanto, o curso não correspondeu às suas expectativas e Anthony decidiu mudar para uma licenciatura na área das artes industriais.

Licenciatura interrompida pela II Guerra Mundial

“Nessa altura trabalhei numa loja de madeira e também fiz trabalhos em metal e jóias”. No entanto, no ano de 1942, já perto de licenciar-se, Anthony teve que interromper os estudos para integrar o Corpo Aéreo do Exército norte-americano durante a Segunda Guerra Mundial.

Depois da guerra, o descendente de italianos foi trabalhar com o seu pai e irmãos numa fábrica de cimento, no entanto, nunca perdeu a vontade de regressar aos estudos.

Em 1946, voltou a matricular-se na sua antiga universidade com o objetivo de terminar a sua licenciatura, mas outro imprevisto fez com que abandonasse novamente o curso. Desta vez, a sua esposa ficou gravemente doente, precisando dos seus cuidados a tempo inteiro.

Um reformado ativo e curioso

Nos anos 80, Brutto reformou-se e aproveitou a reforma para voltar à sua arte fazendo réplicas de animais em madeira: pássaros, rinocerontes, elefantes e até mesmo porcos-espinhos. Anthony voltou também a fazer jóias, vendendo-as em lojas independentes em cidades como Alexandria, Chicago e Virginia.

Recentemente, Anthony regressou à universidade e conclui com sucesso o seu curso tanto tempo adiado. “Sempre foi muito importante para mim formar-me”, assume Anthony Brutto. Ao ser questionado sobre a possibilidade de realizar um mestrado, o recém-licenciado de 94 anos diz, sorrindo : “Não, acho que vou fazer uma pausa por um tempo”. 

Comentários

comentários

Etiquetas

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório