Saúde

Homem tetraplégico recupera movimento da mão

Um homem tetraplégico recuperou os movimentos da mão depois de uma cirurgia pioneira à espinal medula. Depois de ter perdido a capacidade de andar e o controlo das mãos, o norte-americano já consegue alimentar-se e escrever.
Versão para impressão
Um homem tetraplégico recuperou os movimentos da mão depois de uma cirurgia pioneira à espinal medula. Depois de um acidente de carro, o norte-americano de 71 anos perdeu a mobilidade, mas, hoje, graças aos cientistas da Universidade de Washington, já consegue alimentar-se sozinho e escrever algumas palavras.
 
Embora continuasse a mover normalmente os braços, o paciente deixou de ser capaz de segurar ou agarrar objetos após o desastre automóvel que sofreu em 2008. Esta incapacidade devia-se ao facto de os nervos das mãos terem perdido a comunicação com o cérebro, que lhes “dizia” o que fazer.
 
Como, apesar disso, as mensagens enviadas pelo cérebro não deixaram de existir, uma equipa de cirurgiões da Faculdade de Medicina da Universidade de Washington, nos EUA, levou a cabo um procedimento inovador que consistiu em voltar a ligar os nervos do braço, construíndo um novo caminho entre as estruturas cerebrais e a mão.
 
“O circuito [na mão] está intacto mas já não está ligado ao cérebro. O que fazemos é pegar nesse circuito e refazer a conexão ao cérebro”, explicou Ida Fox, professora de cirurgia plástica e reconstrutiva naquela instituição de ensino superior, em declarações à BBC. 
 
Ida alertou que o procedimento, descrito no Journal of Neurosurgery, não terá nunca potencialidade para restaurar totalmente as funções perdidas, mas afirmou que este é um meio “refrescante” e eficaz de devolver o movimento aos doentes.
 
Depois de oito meses, o norte-americano já conseguia mover o polegar, o indicador e o terceiro dedo da mão. Agora consegue alimentar-se e recuperou a capacidade da escrita, apesar de ainda escrever “de forma rudimentar”. Com a continuação da fisioterapia, os médicos acreditam que os movimentos tenderão a evoluir cada vez mais.
 
De salientar que esta técnica apenas pode ser utilizada por pacientes que sofreram lesões específicas na espinal medula, na zona do fundo do pescoço. Isto porque, caso a lesão se situe acima dessa área não haverá função nos braços para servir de “âncora” e, se se situar abaixo, os doentes devem continuar a conseguir mexer as mãos.

Uma cirurgia semelhante foi feita, no início deste mês, em Coimbra, pelo médico Abel Rodrigues, onde um doente foi submetido a um enxerto de um nervo com vista a recuperar parte do movimento das mãos.

Clique AQUI para aceder à publicação do relatório do procedimento no Journal of Neurosurgery (em inglês).

[Notícia sugerida por Elsa Martins e Patrícia Guedes]

 

Comentários

comentários

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório