Cultura

Há talento português num filme vencedor dos Óscares

Há "dedo" português nos cenários do filme "The Grand Budapest Hotel" que conquistou, este domingo, quatro Óscares da Academia, um deles para "Melhor Cenografia". Gonçalo Jordão, muralista alentejano de 41 anos, fez parte da equipa técnica.
Versão para impressão
Há talento português nos cenários do filme “The Grand Budapest Hotel” que conquistou, este domingo, quatro Óscares da Academia, um deles para “Melhor Cenografia”. Gonçalo Jordão, muralista alentejano de 41 anos, fez parte da equipa técnica que decorou as paredes da entrada do hotel.
 
“Junto com centenas de talentosos profissionais, estou feliz por estarmos todos a concorrer ao grande prémio da Academia com uma comédia fantástica de Wes Anderson. De Mourão para o Grand Budapest Hotel”, escreveu, ainda antes da cerimónia, Gonçalo Jordão, natural de Mourão, no Alentejo, na sua página no Facebook
 
Numa entrevista recente à revista Sábado, o português contou que foi responsável pela reprodução de uma paisagem de um quadro do pintor alemão Caspar David Friedrich, que foi fazendo à medida que era filmada uma das duas partes da película nos estúdios Babelsberg, na Alemanha.


 

“Foi engraçado, porque o filme é passado em duas épocas distintas. Eles filmaram primeiro a parte da época dos anos 60 e 70, penso eu, e, por trás do cenário, estava eu a fazer os painéis nas paredes que iam ser da época original do princípio do filme, dos anos 20 e 30”, recordou Gonçalo Jordão em declarações à Sábado. 
 
O muralista português confessou, ainda, que Adam Stockhausen, diretor artístico do filme, mostrou, desde o início, grande confiança no seu trabalho, pedindo-lhe que trabalhasse com dedicação nos mais ínfimos detalhes e encomendando, até, uma cópia muito pormenorizada do quadro quando Gonçalo Jordão lhe disse que a imagem em que estava a basear-se não era clara o suficiente.
 
“Eles confiam muito. Eu ali senti esse peso, [a noção de] está nas minhas mãos isto sair bem feito. Porque, se isto não sair bem feito, eles não vão pôr aqui nenhuma impressão, nenhuma impressão, nenhuma fotografia colada na parede. Há esse peso”, confidenciou, admitindo que o trabalho foi muito gratificante. 
 
Gonçalo Jordão, de 41 anos, formou-se em Arte Decorativa na Fundação Espírito Santo e, desde então, tem trabalhado em pintura decorativa, sempre com o desejo de chegar ao cinema.

Trata-se, aliás, de um desejo que já realizou anteriormente noutras duas outras ocasiões ao colaborar na cenografia dos filmes “A Bela e o Monstro”, de Vincent Cassel, e “O Quinto Poder”, filme sobre o fundador da Wikileaks.
 

“The Grand Budapest Hotel” é uma comédia baseada em dois livros do escritor austríaco Stefan Zweig, que narra as aventuras do famoso gerente de um hotel europeu e do seu melhor amigo, um jovem empregado, aventuras que vão desde o roubo de um quadro do Renascimento às transformações históricas da primeira metade do século XX.
 
Além do Óscar de “Melhor Cenografia”, o filme de Wes Anderson arrecadou ainda, durante a 87.ª cerimónia de entrega dos Óscares, os troféus de “Melhor Banda Sonora Original”, “Melhor Caraterização” e “Melhor Guarda-Roupa”.

Notícia sugerida por António Augusto

Comentários

comentários

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório