Espetáculos e Exposições

Guerra Junqueiro: de Freixo para o Mundo

É com este tema que Freixo de Espada à Cinta evoca os 160 anos do nascimento do poeta. As comemorações englobam várias atividades. Para já, arranca com uma exposição biobibliográfica patente no jardim municipal.
Versão para impressão
É com este tema que Freixo de Espada à Cinta evoca os 160 anos do nascimento do poeta. As comemorações englobam várias atividades. Para já, arranca com uma exposição biobibliográfica patente no jardim municipal.

Manuel Henrique Pereira, professor da Universidade Católica do Porto (UCP), coordenador do projeto Revisitar/Redescobrir Guerra Junqueiro quer “devolver o prestígio e popularidade que teve o poeta autor de obras tão emblemáticas como “A Velhice do Padre Eterno”.

Em declarações à agência Lusa, Henrique Manuel Pereira referiu ainda que está a ser realizado um documentário com 55 minutos que faz um retrato das múltiplas facetas de Guerra Junqueiro, com imagens de arquivo. O documentário deverá ser transmitido num canal generalista da televisão portuguesa, de acordo com o autor.

O trabalho precisava de uma banda sonora “não só para tapar o silêncio, mas que fosse uma outra forma de o protagonista se dizer”, acrescentou. Assim, foram seleccionadas músicas com poesia de Guerra Junqueiro, num total de duas horas e meia, em linguagens sonoras de áreas tão distintas como hip hop, jazz, bossa nova ou eletrónica, incluindo o tema musical mais conhecido da lírica de Junqueiro: “A Moleirinha”.

Os 40 temas reunidos estão disponíveis em CD integrados no projecto que, além de “A Música de Junqueiro” e a “Viagem de Junqueiro” (documentário), inclui ainda uma fotobiografia, e a publicação de 500 páginas com entrevistas “À volta de Junqueiro”.

O retrato de Junqueiro é ainda composto por documentos com éditos, inéditos e entrevistas a mais de 50 personalidades, entre as quais Eduardo Lourenço, o bispo D. Manuel Clemente, Mário Soares, Manoel de Oliveira e Helena da Rocha Pereira.

Todo o trabalho realizado está a ser divulgado na internet, no site Descobrir Guerra Junqueiro onde é possível também conhecer obras do poeta transmontano como “A Velhice do Padre Eterno”, “Os simples”, “Pátria” ou “A Morte de D. João”.

“Agora o trabalho será dado a conhecer aos alunos das escolas onde Junqueiro deixou marcas, com particular incidência na sua terra natal”, disse à Agência Lusa José Santos, presidente da câmara de Freixo de Espada à Cinta. O autarca avançou que a obra de Junqueiro “A Lágrima” vai ser reeditada, em data a indicar, em espanhol, francês e italiano, além de português.

“Poeta, filósofo, cientista, político, agricultor e até viticultor duriense, Guerra Junqueiro foi uma voz respeitada da República e deixou uma obra literária apreciada pelos seus pares do século XIX, como Eça de Queiroz ou Fernando Pessoa” conclui Manuel Henrique Pereira.

Comentários

comentários

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório