Sociedade

Groundforce mantém contratos a grávidas e casais

A Groundforce, empresa detida pela TAP, propôs esta semana cinco medidas para diminuir os efeitos do despedimento coletivo anunciado a 10 de novembro. Entre as medidas propostas estão a manutenção dos contratos de trabalho das sete mulheres grávidas,
Versão para impressão
[Fotografia: © EPA]
A Groundforce, empresa detida pela TAP, propôs esta semana cinco medidas para diminuir os efeitos do despedimento coletivo anunciado a 10 de novembro.

Entre as medidas propostas estão a manutenção dos contratos de trabalho das sete mulheres grávidas, lactantes e de um membro dos 15 casais despedidos na escala de Faro, no Algarve. Na prática 22 pessoas serão salvas do desemprego.

A Groundforce tem como função assistir companhias áereas em terra mas como resultado das perdas da empresa, estimadas em 20 milhões de euros só este ano, a companhia optou pelo despedimento coletivo de 336 trabalhadores.

“Após reanálise de todo o processo, e de forma a diminuir os efeitos do despedimento coletivo e o número de trabalhadores abrangidos”, anunciou a empresa, citada pela Lusa, aos representantes da Comissão de Trabalhadores da Groundforce.

A empresa vai oferecer ainda a possibilidade de os trabalhadores abrangidos pelo processo se candidatarem a postos nas empresas do grupo TAP.

Além destas medidas, a Groundforce anunciou uma indemnização correspondente a 1,15 meses da retribuição base acrescida das anuidades, por cada ano de serviço, e apoio na procura e obtenção de emprego durante quatro meses.

[Notícia sugerida pela utilizadora Leonor Miranda]

Comentários

comentários

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório