Espetáculos e Exposições

Gravações remasterizadas e fotografias inéditas de Amália

Vai ser lançado no mercado na próxima semana pela editora SevenMuses uma nova edição discográfica da fadista portuguesa Amália Rodrigues com 100 temas recuperados , restaurados e remasterizados em alta definição áudio. A caixa será ainda ilustrada co
Versão para impressão
Vai ser lançado no mercado na próxima semana pela editora SevenMuses uma nova edição discográfica da fadista portuguesa Amália Rodrigues com 100 temas recuperados , restaurados e remasterizados em alta definição áudio. A caixa será ainda ilustrada com fotografias inéditas da fadista.

“A voz de Amália surge nesta gravações no esplendor que se afirmou no mundo como uma das grandes cantoras do século XX”, afirmou o editor discográfico responsável, Samuel Lopes.

Referindo-se ao tratamento dado às gravações, Samuel Lopes explica que “foi feito em alta definição, tendo-se autonomizado a voz e conseguido ultrapassar alguns problemas técnicos inerentes ao contexto das gravações, particularmente a distorção”.
O músico Peter Machado fotografou Amália Rodrigues “nos últimos 20 anos de carreira, tanto em espetáculos, como em casa, sendo usadas nesta edição apenas fotografias de cena”, referiu ainda à Lusa o editor responsável.

A edição arruma-se numa caixa com quatro CD´s: “Fado”, “Fado e Canção”, “Cinema e Teatro”, “Olympia e Espanhol”, cada CD reúne 25 temas, na maioria gravados na década de 1950.

O primeiro CD “Fado”  inclui entre outros, “Ave Maria Fadista”, “Quando os outros te batem beijo-te eu”, “Fado da Adiça”, “Menina Lisboa”, “Não digas mal dele” ou “Fado das tamanquinhas”.

No CD “Fado e canção”, além de fados como “Conta errada”, poderá escutar-se Amália com sotaque brasileiro no tema “Trepa no coqueiro” ou “Saudade de Itapuã”, bem como a “Marcha da Mouraria” ou ainda “Grão de arroz”.

Amália Rodrigues iniciou carreira em 1939 no Retiro da Severa, em Lisboa . Atuou em vários pontos do globo, de Timor-Leste a Moscovo, do Brasil a Israel, de França aos EUA. Arrebatou vários prémios, entre eles três MIDEM, uma Medalha Vermeil de Paris e um Clown de ouro.

A fadista morreu em 1999 na sua residência em Lisboa, e foi a primeira mulher a ser sepultada no Panteão Nacional, na capital.

No vídeo abaixo pode ver um dos temas incluídos nesta nova edição discográfica do melhor de Amália Rodrigues.

Comentários

comentários

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório