Mundo

Gorjeta de 4.500 euros ajuda jovem a voltar a estudar

Uma empregada de mesa de um restaurante norte-americano vai poder voltar a estudar graças à generosidade de dois clientes. A jovem Abigail Sailors, de 18 anos, recebeu uma gorjeta de quase 4.500 euros que lhe vai permitir dedicar-se ao sonho.
Versão para impressão
Uma empregada de mesa de um restaurante norte-americano vai poder voltar a estudar graças à generosidade de dois clientes. Depois de ter partilhado a sua história numa conversa ocasional durante o trabalho, a jovem Abigail Sailors, de 18 anos, recebeu uma gorjeta de quase 4.500 euros que lhe vai permitir continuar a dedicar-se ao sonho da universidade.
 
De acordo com o jornal local Lincoln Journal Star, tudo aconteceu na passada quinta-feira, quando, à chegada ao estabelecimento, os clientes pediram para ser atendidos pelo funcionário mais mal-disposto, porque queriam “fazê-lo sorrir”. Porém, e na ausência de mal-dispostos, acabou por lhes calhar em sorte a empregada mais alegre: Abigail.
 
Depois do pedido, e surpreendidos com a boa disposição da jovem, os homens perguntaram-lhe qual a razão da sua felicidade e, enquanto trabalhava, Abigail contou-lhes a história da sua infância: o pai morreu num acidente de carro quando tinha apenas sete meses e a mãe ficou com lesões cerebrais graves. 
 
Desde então, a jovem passou por várias casas de acolhimento (tendo sido, em várias ocasiões, separada dos cinco irmãos), sofreu abusos sexuais por parte dos pais “adotivos” mas, há nove anos, acabou por voltar a reunir-se com os irmãos debaixo do mesmo tecto, quando todos foram “salvos” por John e Susi Sailors, um casal que tinha já cinco filhos e que os criou.
 
“É um lar fantástico, com pessoas fantásticas, incríveis”, confessou Abigail ao jornal norte-americano. “Não sei onde estaria se não os tivesse. Eles transformaram-me na pessoa que sou hoje”, revelou a jovem, que falou também aos clientes sobre os seus sonhos para um futuro – um futuro que se encontra em suspenso depois de, por falta de dinheiro, ter tido de interromper os estudos após o primeiro semestre. 
 
De acordo com o Lincoln Journal Star, a funcionária disse estar a juntar dinheiro das gorjetas e salários para voltar à universidade no Outono e a considerar ter aulas online até ter novamente condições de suportar os estudos. A sua vida podia ser bem pior, mas não é – e esta foi a razão apresentada pela jovem para justificar a sua constante alegria. 
 
Impressionados com a história de Abigail, os clientes, um mais velho e um de meia idade, ambos naturais do estado do Nebraska mas nenhum deles presença frequente no restaurante, continuaram a colocar-lhe questões e partilharam um pouco sobre as suas próprias vidas.
 
No fim da refeição, e sem aviso, um deles abriu o livro de cheques e passou dois cheques à jovem: um de 5.000 dólares (cerca de 3.600 euros) para a universidade e um de 1.000 dólares (aproximadamente 735 euros) para quaisquer outras despresas. Além disso, deixou-lhe ainda uma “gorjeta” extra de 100 dólares (perto de 74 euros) que Abigail dividiu com outro funcionário. 
 
O gesto apanhou-a completamente de surpresa, conforme admitiu à imprensa norte-americana. “Não queria acreditar. Tentei agradecer-lhes e eles disseram-me 'agradeça a Deus'”, confessou.
 
“Sinto-me muito grata. Depois de tudo o que passámos, aquilo que penso é: Deus abençoou-me com muitas coisas boas. Estou a ir bem. Isso é tudo o que importa para mim”, concluiu a jovem, que assim deve voltar à universidade já na Primavera.

Comentários

comentários

Etiquetas

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub