Inovação e Tecnologia

Google vai digitalizar arquivos de Nelson Mandela

A Google doou 1,25 milhões de dólares, cerca de 900 mil euros, ao Centro de Memória da Fundação Nelson Mandela para que se proceda à digitalização e conservação dos documentos de arquivo, fotografias e materiais audiovisuais que documentam a vida e c
Versão para impressão
A Google doou 1,25 milhões de dólares, cerca de 900 mil euros, ao Centro de Memória da Fundação Nelson Mandela para que se proceda à digitalização e conservação dos documentos de arquivo, fotografias e materiais audiovisuais que documentam a vida e carreira do líder sul-africano.

O objetivo é tornar disponíveis na internet centenas de documentos nunca antes vistos sobre Mandela e de forma gratuita, conforme realçou à AFP Achmat Dangor, Chefe Executivo da Fundação Mandela.  

Do espólio que será disponibilizado na internet contam-se os diários de Mandela enquanto esteve preso, cartas privadas e notas feitas em reuniões por ele presididas.

A Fundação está ainda a negociar com governos estrangeiros e outras instituições para que disponibilizem outros documentos importantes da vida de Mandela.

Nelson Mandela encontra-se a recuperar de uma hospitalização em janeiro último. O herói anti-apartheid tornou-se no primeiro presidente negro da África do Sul entre 1994 e 1999. Retirou-se da vida pública em 2004.

Os seus arquivos já estão a ser digitalizados para a alegria de muitos que o admiram, e estará concluído numa questão de meses.

Comentários

comentários

Etiquetas

Pub

Aid Global

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub