Sociedade

Góis apoia natalidade com 500 euros por bebé

O município de Góis vai ampliar e aumentar o valor do incentivo à natalidade que aplica desde 2007, passando dos 250 euros que oferecia, por cada bebé nascido, para os 500 euros e aumentando o número de beneficiários.
Versão para impressão
O município de Góis, região de Coimbra, vai ampliar e aumentar o valor do incentivo à natalidade que aplica no concelho desde 2007, passando dos 250 euros que oferecia, por cada bebé nascido, para os 500 euros e aumentando o número de beneficiários. 
 
Fonte da autarquia confirmou ao Boas Notícias que o regulamento – integrado no Sistema Local de Incentivo aos Jovens (SLIJ) – já foi alterado e, caso seja aprovado em discussão pública e pela assembleia municipal, deverá entrar em funcionamento já em Maio.
 
Além do aumento do valor do subsídio, o novo regulamento propõe ainda que os 500 euros sejam atribuídos a qualquer pessoa que tenha filhos, independentemente da idade. Anteriormente, os apoios destinavam-se apenas a mães e pais com menos de 35 anos. 

Catarina Sá, técnica da divisão social e cultural da Câmara Municipal de Góis, explicou ao Boas Notícias que a medida tem particular importância num contexto em que se verifica “um aumento significativo da taxa de envelhecimento populacional, 32% da população residente, e um decréscimo exponencial na taxa de natalidade no município em 2011”.

 
Os incentivos vão também dinamizar a economia do concelho, uma vez que serão oferecidos em forma de reembolso, ou seja, os pais terão de gastar esse valor em produtos destinados ao bebé e adquiridos nas lojas da região. O valor gasto será depois reembolsado pela autarquia.

População reagiu com agrado à medida
 
O subsídio é atribuído a qualquer bebé que nasça no concelho, mesmo que o casal viva separado, e poderá até ser atribuído a mães solteiras. Como única condição, a autarquia exige que a mãe da criança resida no concelho há pelo menos um ano. 

De acordo com Catarina Sá, “a população reagiu positivamente à implementação da alteração ao subsídio” que espera, por um lado, “compensar a forte queda de nascimentos” e, por outro, “contrariar a perda de população devida ao êxodo dos jovens para os grandes centros do país”

Desde 2007, este incentivo da autarquia já beneficiou 53 bebés, um número que deverá aumentar após a alteração do limite de idade que, no novo documento, deixa de ser uma exigência. 

 
Ainda que seja uma quantia relativa, este incentivo será uma ajuda importante para os primeiros meses do bebé e é um apoio significativo para os jovens pais de um concelho que viu a sua população reduzir para menos de metade nos últimos 100 anos. Atualmente, o concelho conta com 4.260 habitantes.

[Notícia sugerida por Sofia Baptista]


[Notícia atualizada a 27/03/2012 às 10h07]

Comentários

comentários

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório