Em Destaque Inovação e Tecnologia

Fleetlights, drones noturnos que iluminam o seu caminho

Durante o percurso, o indivíduo pode “empurrar” ou “puxar” o conjunto de drones para adaptá-lo melhor às suas necessidades
Versão para impressão
por Inês Ruivo

Caminhar, andar de bicicleta ou conduzir um automóvel em estradas sem iluminação são algumas das atividades que poderá realizar com uma maior segurança. É este o objetivo da Direct Line, seguradora inglesa que está a desenvolver um projeto de drones capacitados para iluminar a viagem de quem os solicite. Para fazê-lo basta um clique na aplicação Fleetlights e a informação é recebida pela central de controlo que, através do gps do smartphone e drones, rapidamente se deslocarão para o local preciso onde a pessoa se encontra. Todo o trajeto é feito sob um feixe de luz e, após chegar ao destino, um novo clique na aplicação faz os drones regressarem à central.

O serviço inaugural é constituído por uma frota de 20 drones e está ainda em fase de testes. 15 destes veículos não tripulados têm uma única unidade de iluminação de alta-eficiência. Os outros cinco aparelhos são utilizados quando solicitada iluminação máxima a altas velocidades.

Em função, os aparelhos respondem a um drone “mestre” e estão ligados em rede para aumentar as condições de segurança e ser estabelecido o número de veículos que pode estar no serviço em simultâneo. De acordo com a Direct Line, são capazes de voar consecutivamente durante 25 minutos e atingem uma velocidade máxima de 96,56 Km/h.  Voltam à central de controlo para recarregar e poderem estar aptos a ser novamente requeridos.

Apesar das tecnologias utilizadas, segundo a informação expressa no manual de utilização destes veículos não tripulados, há vários aspetos a aperfeiçoar, como a deteção de colisão avançada, de modo a permitir à Fleetlights terem consciência do que os rodeia sem recorrer ao uso de mapeamento. A substituição das baterias de lítio por unidades de potência de hidrogénio também é uma das medidas a adotar, uma vez que aumentaria o voo da frota exponencialmente.

Segundo informações disponibilizadas pela seguradora, o serviço protótipo pretende demonstrar como a inovação pode ser usada na prevenção. Refere ainda que “este é o primeiro projeto de uma série de iniciativas, as quais estão a ser realizadas para investigar o potencial da tecnologia no impacto de objetos quotidianos na melhoria da vida das pessoas”.  As questões de comercialização ainda estão por definir: “atualmente não há planos para liberá-los como um produto comercial”, indica a empresa.

Comentários

comentários

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório