Cultura

Filme de Gonçalo Tocha vence prémio na Argentina

O filme "É na Terra, não é na Lua", de Gonçalo Tocha, arrecadou no domingo mais um prémio para o novo cinema português, desta vez na 14ª edição do BAFICI - Festival de Cinema Independente de Buenos Aires. A obra cinematográfica foi considerada pelo
Versão para impressão
O filme “É na Terra, não é na Lua”, de Gonçalo Tocha, arrecadou no domingo mais um prémio para o novo cinema português, desta vez na 14ª edição do BAFICI – Festival de Cinema Independente de Buenos Aires. A obra cinematográfica foi considerada pelo júri como a melhor na categoria “Cinema do Futuro”.
 
O galardão recebido este fim de semana junta-se à menção especial recebida no Festival de Locarno, em Itália, e ao prémio obtido no festival nacional DocLisboa. Gonçalo Tocha vai agora receber 15 mil dólares (cerca de 11 mil euros) do canal de televisão argentino I Sat pelos direitos televisivos e como “prémio de estímulo”, é adiantado no site oficial do BAFICI.
 
Estreado no final de Março em Portugal, o filme oferece ao público um olhar do realizador sobre a ilha do Corvo, nos Açores. Gonçalo Tocha partiu para o arquipélago em 2008 com uma equipa de apenas mais duas pessoas: o operador de câmara e o técnico de som. O primeiro local de exibição do filme foi Nova Iorque, em Janeiro, e agora o filme está a fazer uma digressão pelos festivais internacionais.
 
O festival de Buenos Aires atribuiu ainda uma menção na mesma categoria ao filme libanês “Ok, Enough, Goodbye”  de Rania Attieh e Daniel García.
 
Durante o evento, foi projetado o filme “Fantasia Lusitana”, de João Canijo, que ficou destacado como uma “perspetiva portuguesa” pela organização.

Consulte todos os premiados do festival AQUI. Para aceder ao site oficial de “É na Terra, não é na Lua”, clique AQUI.

[Notícia sugerida por Isabel Dantas Reis e Elsa Martins]

Comentários

comentários

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório