Saúde

Ferroportina pode abrandar cancro da mama

A ferroportina, uma proteína que elimina o ferro das células do organismo, pode ser usada para abrandar o crescimento de tumores cancerígenos, para tratar cancro da mama e previr o desenvolvimento da doença nestes pacientes.
Versão para impressão
A ferroportina, uma proteína que elimina o ferro das células do organismo, pode ser usada para abrandar o crescimento de tumores cancerígenos, para tratar cancro da mama e previr o desenvolvimento da doença nestes pacientes.

A conclusão foi divulgada por um estudo da responsabilidade de investigadores da Wake Forest University Baptist Medical Center, na Carolina do Norte, EUA. Os cientistas descobriram que os níveis de ferroportina são muito baixos nos tumores mamários que em tecido normal.

A falta desta proteína resulta assim num aumento dos níveis de ferro, o que permite ao tumor crescer e tornar-se mais agressivo, de acordo com a explicação dada à AFP pela professora de bioquímica Suzy Torti, uma das investigadoras responsáveis por este estudo.

Assim que os investigadores repunham os níveis de ferroportina a um nível normal em tumores humanos nos ratos, os tumores apresentaram um crescimento mais lento.

“Porque a ferroportina pode remover o ferro das células, quando voltávamos a inserir a proteína de volta, a ferroportina retirava estímulo ao crescimento do cancro”, explicou Torti.

“A nossa descoberta sugere que a ferroportina é uma influência substancial no comportamento deste tipo de cancro”, avança a investigadora que avisa os pacientes a não alterem o consumo de alimentos com ferro da sua dieta já que o estudo incide a nível celular e não a nível dietético de ingerir alimentos, conforme fez questão de salientar.

Os investigadores analisaram depois 800 mulheres com cancro da mama para perceber melhor a ligação entre a ferroportina e os resultados a longo termo na evolução do cancro.

Descobriram que os níveis de ferroportina eram baixos nas áreas mais agressivas do cancro. Níveis altos de ferroportina prediziam cerca de 90% de hipóteses que essa mulher seja uma sobrevivente a longo termo de cancro da mama.

“Usar ferroportina como um marcador na regulação dos níveis de ferro pode ser útil enquanto ferramenta no prognóstico de cancro da mama e ajudar na terapia direta.” De acordo com o estudo, no futuro “manipular níveis de ferroportina ou proteínas que afetem os níveis de ferroportina pode vir a ser um tratamento eficaz no cancro da mama”.

Comentários

comentários

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório