Sociedade

Exportações portuguesas para a China aumentam

Há década e meia, eram poucos os produtos nacionais que se podiam encontrar nas superfícies comerciais chinesas. Mas o cenário mudou: entre janeiro e novembro de 2010, as exportações portuguesas para a China subiram 60,7 por cento, para cerca de 472
Versão para impressão
Há década e meia, eram poucos os produtos nacionais que se podiam encontrar nas superfícies comerciais chinesas. Mas o cenário mudou: entre janeiro e novembro de 2010, as exportações portuguesas para a China subiram 60,7 por cento, para cerca de 472 milhões de euros. Espera-se que o valor dobre este ano.

O setor automóvel foi fundamental para este crescimento – segundo as alfândegas chinesas, citadas pela agência Lusa, nos primeiros oito meses de 2010, as vendas de veículos e peças de automóveis portugueses para a China quintuplicaram em relação ao mesmo período do ano anterior, representando 24% das exportações.

Além da cortiça, que regista ainda boas vendas naquele país asiático, há novos produtos nacionais que começam a emergir no grande mercado chinês, nomeadamente vinho, azeite, móveis e artigos de casa.

“Há 15 anos encontravam-se umas conservas, uma ou outra marca de Vinho do Porto e mais nada”, diz um dos portugueses residentes há mais tempo em

Pequim, em declarações à Lusa.

Também no futebol tem sido dado destaque ao técnico português Jaime Pacheco, que foi apresentado esta semana à imprensa local como novo treinador Beijing Guo´An, uma das equipas mais prestigiadas da liga chinesa.

Comentários

comentários

Etiquetas

Pub

Aid Global

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub