Negócios e Empreendorismo

Exportações de azeite crescem 17%

NULL
Versão para impressão
Em 2010, as exportações nacionais de azeite embalado aumentaram em 17%, o que contribuiu para que a balança comercial do setor registasse um valor positivo, algo que já não sucedia há várias décadas. Segundo dados da Casa do Azeite – Associação do Azeite de Portugal, falta pouco para que o país seja autossuficiente nesta matéria.

“É a primeira vez desde há 30 anos que o saldo da balança comercial é positivo, muito devido à grande dinâmica e investimento que tem sido feito, com a plantação de olival e modernização, e também porque o Brasil reforçou o seu lugar como principal consumidor de azeite português”, diz Mariana Matos, secretária-geral da associação, em declarações ao jornal Público.

De facto, cerca de 65% das exportações tiveram como destino o Brasil. Empresas como a Sovena – produtora do azeite Oliveira da Serra – e a Herdade do Esporão aumentaram, assim, as suas vendas e escoaram a esmagadora maioria dos seus produtos para aquele país da América do Sul.

No ano passado, foram encaixados 159.258 milhões de euros com as exportações do azeite. O volume exportado chegou às 47 mil toneladas – um valor “impressionante” e que prova que Portugal poderá libertar-se da dependência externa no que toca ao azeite em pouco tempo.

“Atualmente, produzimos 70% do azeite de que precisamos”, afirma Mariana Matos, considerando que é importante o estímulo ao consumo a nível mundial, até para combater as quedas de preço que se têm registado.

[Notícia sugerida pelos utilizadores Ana Vicente, Teresa Teixeira e Vítor Fernandes]

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub