Ambiente

EUA querem aplicar milhões na energia do 3º mundo

Os Estados Unidos apresentaram na conferência de Copenhaga um plano de 350 milhões de dólares (239 milhões de euros), financiado pelos principais países industrializados, a fim de promover as energias limpas nos países em desenvolvimento.
Versão para impressão
Os Estados Unidos apresentaram, esta segunda-feira, na conferência de Copenhaga um plano de 350 milhões de dólares (239 milhões de euros), financiado pelos principais países industrializados, a fim de promover as energias limpas nos países em desenvolvimento.

Chamado “Climate REDI”, este plano deverá permitir “acelerar o desenvolvimento das energias renováveis e das tecnologias que melhorem a eficiência energética” nesses países, explicou em comunicado o secretário norte-americano para a Energia, Steven Chu.

Este programa vai contribuir para a redução das emissões de gases com efeito de estufa, salientou Chu, que participa na conferência.

Quatro grandes eixos foram visados pelo “Climate REDI”: o desenvolvimento da energia solar doméstica para as casas que não estão ligadas às redes eléctricas, a promoção das tecnologias que permitem poupar energia, a criação de uma rede de partilha de informações sobre energias limpas e um programa de apoio à promoção destas tecnologias nos países em desenvolvimento.

Os fundos serão desbloqueados pelo Fórum das Grandes Economias sobre a Energia e Clima (MEF), que reúne 17 países do G8 e as economias emergentes.

Os Estados Unidos comprometeram-se a investir 85 milhões de dólares (58 milhões de euros); o Reino Unido, Holanda, Noruega e Suíça vão reunir 200 milhões (136 milhões de euros). De acordo com a Casa Branca, a Austrália, Itália e Suécia também se comprometeram a contribuir.

As estimativas de ajuda financeira imediata para os países pobres, em matéria climática, oscilam entre os cinco e os sete mil milhões de euros por ano, nos próximos três anos. Para o período 2013-2020, a ajuda aos países pobres está avaliada em cem mil milhões de euros por ano.

Hoje, a administração norte-americana anunciou que Washington vai acolher, em 2010, a primeira reunião ministerial dos países membros do MEF, para a qual serão convidados “outros países”. Este encontro visa coordenar os projectos já lançados pelo Fórum e pôr em funcionamento outras medidas concretas para o desenvolvimento de energias limpas no mundo, informou Chu.

Criado em Março de 2009, o MEF reúne a Austrália, Brasil, Canadá, China, União Europeia, França, Alemanha, Índia, Indonésia, Itália, Japão, Coreia do Sul, México, Rússia, África do Sul, Reino Unido e Estados Unidos.

Comentários

comentários

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório