Negócios e Empreendorismo

EUA: Power Balance paga indeminização de 42ME

NULL
Versão para impressão
Depois da Austrália, Itália e Espanha também os EUA avançaram com um processo contra as pulseiras “Power Balance”. A empresa que comercializa as pulseiras “Power Balance” perdeu uma ação em tribunal movida por um grupo de consumidores norte-americanos e terá de pagar uma indemnização de 42 milhões de euros por publicidade enganosa.

De acordo com informação avançada pela imprensa norte-americana, a multa surge depois de, em Janeiro, um grupo de consumidores enganados ter interposto um processo num tribunal em Los Angeles, nos EUA.

Os consumidores alegaram que a empresa os levou a acreditar que as referidas pulseiras aumentavam o equilíbrio, a força e a flexibilidade de quem as usasse no pulso.

Na sequência deste processo, a empresa que comercializa as pulseiras Power Balance em todo mundo poderá mesmo vir a ter de declarar falência. 

As pulseiras Power Balance, feitas de silicone e neopreno com um holograma, foram comercializadas nos EUA por 30 dólares (22 euros). 

Os responsáveis da marca, os irmãos Josh e Troy Rodarmel, fundadores da Power Balance, perante o número de queixas que surgiram nos EUA, chegaram a admitir que não existiam provas científicas que confirmassem os “poderes” da pulseira.

Na Austrália, a Power Balance foi mesmo obrigada a emitir um comunicado onde admitia que as suas pulseiras não tinham qualquer efeito em termos de aumento da energia.

[Notícia sugerida por Raquel Baêta]

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub