Ambiente

Estudo: Orangotangos felizes vivem mais anos

NULL
Versão para impressão

Uma equipa de investigadores dos EUA e do Reino Unido elaborou um estudo para medir a felicidade de 200 orangotangos residentes em jardins zoológicos. Os investigadores concluíram, num estudo publicado na revista Biology Letters, que os animais mais felizes podem viver até 11 anos mais.

O estudo, liderado por Alex Weiss da Universidade de Edinburgh, mediu o grau de felicidade/bem estar de cerca de 200 animais a partir de um inquérito de quatro perguntas feito aos seus tratadores.

Depois de defenir os valores de felicidade de cada orangotango, a equipa conseguiu – ao acompanhar os mesmos animais durante sete anos – estabelecer uma ligação direta entre estes valores e a sua esperança média de vida.

Segundo o estudo, os orangotangos mais felizes viveram em média mais sete anos. Nos extremos dos resultados, a diferença em termos de longevidade, entre o orangotango menos feliz e o mais feliz, foi de 11 anos.

Segundo explicou o coordenador do estudo à BBC, este estudo é importante porque mostra que é possível “prolongar a vida de um orangotango monitorizando a saúde dos animais que parecem infelizes”.

Por outro lado “estas medidas de felicidade e bem-estar poderiam ser usadas para determinar se um animal está preparado para ser reintroduzido na Natureza”, acrescenta o autor.

Clique AQUI para aceder ao resumo do estudo publicado na Biology Letters.

 

Comentários

comentários

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório