Desporto

Estoril: Autódromo fecha ano com lucro de 500 mil

Com a visão estratégica, ainda que arriscada, da administração da Parpública, empresa detentora do circuito, o Autódromo do Estoril conseguiu obter 500 mil euros de lucro em 2010, sobretudo através do aluguer do espaço a grandes marcas, avança o jorn
Versão para impressão
Com a visão estratégica, ainda que arriscada, da administração da Parpública, empresa detentora do circuito, o Autódromo do Estoril conseguiu obter 500 mil euros de lucro em 2010, sobretudo através do aluguer do espaço a grandes marcas, avança o jornal Expresso.

Esta meta foi alcançada depois de vários anos a gerar mais despesas do que receitas, os administradores Isabel Brazão e Domingos Piedade decidiram redefinir os objetivos estratégicos do Circuito do Estoril para 2010. O objetivo era reduzir os prejuízos – que em 2008 chegaram aos 500 mil euros – para 150 mil euros.

Mas a nova estratégia, que privilegia o aluguer do circuito a grandes marcas em detrimento das grandes competições, uma vez que a época dourada e rentável das corridas já não tem o brilho de antigamente.

“Decidimos centrar a gestão no aproveitamento máximo da vertente urbana do autódromo, orientando-o para apresentações mundiais de automóveis, provas, testes, treinos”, explica a administradora da Parpública, empresa estatal detentora do circuito, ao jornal Expresso.

Com a conjuntura económica prejudicada pela crise, a empresa nunca pensou alcançar resultados tão positivos: um aumento de receitas na ordem dos 400 por cento. Ao Expresso, Isabel Brazão admite que “foi uma aposta num ambiente macroarriscado, experimental”. “Por isso não seria credível que tivéssemos um resultado tão bom. É espantoso”, conclui.

Logo no início do ano, a BMW alugou o Circuito do Estoril durante dez semanas, para apresentar e testar o novo Série 5. Mais de oito mil pessoas de 50 países passaram pela pista do Estoril, entre organizadores, concessionários e jornalistas.

Seguiram-se a Volvo e a Mini. Em finais de setembro, a previsão anual de utilização da pista (219 dias) já tinha sido ultrapassada. Para 2011 estão marcados mais três lançamentos mundiais, os testes de MotoGP e Moto2.

A administradora sublinha que é importante encarar o circuito como um espaço com mais valência, além das corridas até porque a “esmagadora maioria desses eventos nem sequer gera receita”.

Neste momento, a principal prova do circuito do Estoril é o MotoGP, campeonato de motociclismo que, em 2011, se realiza a 1 de maio – a caução é assegurada pelo Turismo de Portugal -, e cuja receita de bilheteira é suficiente para cobrir os custos da organização.

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub