Saúde

Estado comparticipa vacina contra HPV

O Estado vai comparticipar uma das vacinas existentes no mercado para combater o Papiloma Vírus Humano (HPV), que provoca o cancro do colo do útero.
Versão para impressão
O Estado vai comparticipar uma das vacinas existentes no mercado para combater o Papiloma Vírus Humano (HPV), que provoca o cancro do colo do útero.

O preço de venda ao público da Cervarix, da farmacêutica GlaxoSmithkline Biologicals, é de 80 euros por cada uma das três doses necessárias, tendo-lhe sido atribuída a comparticipação de 37%.

Ao jornal Sol, o organismo do Ministério da Saúde que tutela o setor dos medicamentos adiantou que esta vacina é “comparticipada em Portugal, dado o resultado positivo obtido em sede de Avaliação Farmacoterapêutica e Económica”.

No mercado português está também à venda a vacina Gardasil, comercializada pela Sanofi Pasteur, com um custo de 150 euros por cada dose. Contudo, “estando o processo [do pedido de comparticipação] ainda em fase de avaliação”, o Estado não atribuiu qualquer apoio na compra do produto.

Vacinação obrigatória e gratuita para jovens até 17 anos

Em outubro de 2008, a vacina contra o Papiloma Vírus Humano passou a integrar o Plano Nacional de Vacinação (PNV), tornando-se gratuita e obrigatória para jovens adolescentes de 13 anos. Entretanto, foi ainda aberta a possibilidade de todas as jovens até aos 17 anos acederem também à vacina gratuitamente. As vacinas do PNV são da Sanofi Pasteur.

A vacina contra o vírus do papiloma humano (HPV) é um dos maiores avanços recentes da Oncologia. Os estudos mostram que as vacinas existentes- que combatem os principais tipos do vírus (6, 11, 16 e 18) – podem diminuir a mortalidade por cancro do colo do útero em até 90%.

Comentários

comentários

Etiquetas

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub