Ciência

Esta sexta-feira à noite há “Lua azul” nos céus

Esta sexta-feira é noite de Lua azul. Não, não vamos ver a Lua mudar de cor: trata-se apenas da designação dada ao raro aparecimento de uma segunda Lua Cheia num único mês, que acontece cerca de uma vez a cada dois ou três anos.
Versão para impressão
Esta sexta-feira é noite de Lua azul. Não, não vamos ver a Lua mudar de cor: trata-se apenas da designação dada ao raro aparecimento de uma segunda Lua Cheia num único mês, que acontece cerca de uma vez a cada dois ou três anos.
 
A primeira Lua Cheia de Agosto iluminou os céus noturnos no passado dia 1 e amanhã, último dia do mês, vai voltar a aparecer. De acordo com a NASA, a explicação para este fenómeno reside no facto de o nosso calendário não estar em sincronia perfeita com a órbita lunar.
 
“As luas cheias estão separadas entre si por 29 dias, mas a maioria dos meses têm 30 ou 31 dias. Portanto, é possível que duas luas cheias encaixem no mesmo mês, o que, em média, se verifica a cada dois anos e meio”, explica a agência espacial norte-americana. 
 
Mesmo que esteja em questão um ano bissexto, como é o caso de 2012, Fevereiro, com 28 ou 29 dias, é o único mês do ano em que o fenómeno da Lua azul não pode ocorrer. Aliás, é possível que, em determinados anos, Fevereiro não tenha Lua Cheia: nessas situações há uma Lua Cheia no final de Janeiro e outra no início de Março.
 
Embora, talvez para desilusão de muitos dos amantes da astronomia, não possamos, esta sexta-feira, ver a Lua tornar-se azul, relatos com séculos de história que chegaram até nós contam que tal já aconteceu. 
 
Em 1883, por exemplo, com a erupção do vulcão Krakatoa, na Indonésia, toneladas de gases e cinzas ficaram a pairar no céu e subiram até à atmosfera terrestre, o que fez com que a Lua fosse vista, em todo o mundo, durante vários anos, com uma coloração azulada.  
 
Segundo a NASA, erupções potentes de outros vulcões também tornaram a lua “azul” aos olhos dos habitantes do planeta Terra, como aconteceu em 1983, depois da explosão do vulcão El Chichon, no México, e situações semelhantes ocorreram diversas vezes após enormes incêndios florestais em diversas partes do globo.
 
Em qualquer dos casos, amanhã à noite, valerá a pena olhar para o céu para contemplar a segunda Lua Cheia do mês. Perdida a ocasião, só será possível voltar a fazê-lo em 2015.

[Notícia sugerida por Maria Sousa e Diana Rodrigues]

Comentários

comentários

Etiquetas

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório