Ambiente

Energia: Torres Vedras pode ser autossustentável em 2015

Mais de metade da eletricidade consumida pelas 80 mil pessoas que vivem em Torres Vedras é produzida a partir de fontes renováveis. As condições favoráveis para a produção de energia indicam que o concelho poderá tornar-se autossustentável em 2015.
Versão para impressão
Mais de metade da eletricidade consumida pelas 80 mil pessoas que vivem em Torres Vedras é produzida a partir de fontes de energia renovável. As apostas da autarquia do concelho e as condições favoráveis para a produção de energia indicam que Torres Vedras poderá tornar-se autossustentável em 2015.

Segundo revelam os dados da Direção Geral de Energia e Geologia (DGEG), as fontes renováveis existentes no concelho já contribuíram para a produção de 250 gigawatts (GW) para as necessidades anuais de consumo, que andam na ordem dos 336 GW.

As perspetivas de auto sustentabilidade para 2015 em Torres Vedras centram-se na criação de uma central de gás natural no concelho, um projeto desenvolvido entre a Galp Energia e uma empresa hortícola local.

Com a entrada em funcionamento deste equipamento vai ser possível aquecer estufas e aumentar a produção local de energia. A central de gás natural vai potenciar a produção de energia do sistema de cogeração de Torres Vedras, estando previsto que os atuais 70 gigawatts produzidos anualmente dupliquem.

Também a força dos ventos é aproveitada em Torres Vedras, tendo sido instalados nove parques eólicos, com uma capacidade instalada de 116 megawatts. Para além desta aposta, a autarquia pretende “adotar políticas de eficiência energética, como a instalação de 15 painéis fotovoltaicos nos edifícios públicos”.

A política sustentável da autarquia atraiu novos investimentos

“Hoje conseguimos uma redução de 20% na fatura total da eletricidade consumida pelo município, que por ano para 1,2 milhões de euros”, explicou à agência Lusa Carlos Bernardes, vice-presidente da autarquia e vereador do Ambiente.
 
A substituição da iluminação pública convencional por lâmpadas de baixo consumo, o incentivo aos particulares para aderirem à microgeração e ao veículo elétrico e a criação de uma rede de bicicletas públicas gratuitas na cidade são outras das medidas conduzidas pelo município.

As decisões da autarquia atraíram também novos empreendimentos, tendo sido instaladas empresas ligadas às energias renováveis no concelho, como uma fábrica de produção de painéis fotovoltaicos, da espanhola Eurener, e uma empresa de componentes tecnológicos para transformar o hidrogénio em combustível.

João Bernardo, diretor do departamento das energias renováveis da DGEG afirmou à agência Lusa que a meta da eficiência energética deverá ser alcançada “tendo em conta as enormes potencialidades em energias renováveis” que existem na região.

Notícia sugerida por Maria Manuela Mendes

Comentários

comentários

Pub

Aid Global

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub