Ciência

Encontrado fóssil do réptil mais pequeno do mundo

Uma equipa da Universidade de Bristol (Reino Unido) liderada pelo português Pedro A. Viegas, curador e conservador de história natural, descobriu o fóssil de um réptil que até agora não tinha sido identificado.
Versão para impressão
Uma equipa da Universidade de Bristol (Reino Unido), integrada pelo português Pedro A. Viegas, curador e conservador de história natural, descobriu o fóssil daquele que terá sido o réptil mais pequeno do mundo. O 'Clevosaurus sectumsemper', como foi batizado, terá vivido há 205 milhões de anos.

A revista Proceedings of the Geologists' Association publicou, recentemente, o artigo que descreve a descoberta feita pela equipa integrada pelo português Pedro A. Viegas. A pesquisa foi feita pela estudante britânica Catherine Klein da Bristol's School of Earth Sciences.

O grupo de investigadores apurou que este novo réptil pertenceu ao Triássico, época na qual as ilhas a sudoeste do Reino Unido formavam um pequeno arquipélago habitado por várias espécies de dinossauros.

Atualmente, as rochas de calcário de Gloucestershire preservam muitas cavernas e fissuras repletas de ossos de abundantes espécies de pequenos répteis que co-habitaram com os dinaussauros.

Catherine Klein, que descobriu esta nova espécie na sequência de um projeto de Verão, refere, em comunicado de imprensa, que “estes répteis, 'clevosaurus sectumsemper', viviam provavelmente na horla de uma das ilhas do arquipélago, num ambiente relativamente hostil e competitivo. Isso explicaria a elevada ocorrência de fraturas, como a que encontrámos numa costela do réptil”.


Este novo réptil, considerado o mais pequeno descoberto até à data,  tem a particularidade, partilhada com outros répteis do género Clevosaurus, de possuir dentes moldáveis, que a cada mordida sofriam adaptações, tornando-se mais afiados.

A jovem estudante, que ainda frequenta a licenciatura, adianta ainda que ?o nome 'sectumsemper' significa 'sempre afiado? e foi escolhido precisamente por causa desta caraterística, embora seja também uma homenagem a uma personagem de Harry Potter, Severus Snape, que criou um feitiço chamado 'sectumsempra'?.

 

O fóssil já foi encontrado e recolhido pelos investigadores em 2012, mas só foi estudado e identificado recentemente.

Catherine Klein é aluna do catedrático português Pedro A. Viegas que liderou o Bristol Dinosaur Project. Este projeto envolve “um amplo programa de preparação e conservação de uma coleção de macro e microvertebrados fósseis”, refere o português na ficha de apresentação do seu projeto.

Para além de trazer novas informações sobre os répteis da época dos dinossauros, esta descoberta contribui para a documentação dos detalhes da distribuição geográfica daquela época.  

Para aceder ao estudo (em inglês) clique AQUI.

Notícia sugerida por Maria Pandina

Comentários

comentários

Etiquetas

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório