Portugal Excelência

Empresa lusa entre as mais revolucionárias do mundo

A empresa co-fundada por Susana Sargento, que oferece soluções de "Internet em Movimento", continua a marcar pontos "lá fora". A empresa foi agora colocada entre as mais inovadoras do mundo, numa lista elaborada pela CNBC.
Versão para impressão
A empresa co-fundada por Susana Sargento, que oferece soluções de “Internet em Movimento”, continua a marcar pontos “lá fora”. Depois de em abril ter garantido à portuguesa o Prémio Mulheres Inovadoras da União Europeia de 2016, a empresa foi agora colocada entre as mais inovadoras do mundo, numa lista elaborada pela CNBC.
No seu indicador das "Empresas mais disruptivas", o canal norte-americano lista 50 empresas de 15 indústrias distintas — desde a aeroespacial a serviços financeiros, passando pela segurança online  — cujas inovação estão a “revolucionar o mundo”. 

A Veniam aparece no 28.º lugar da lista liderada pela UBER e que integra outras empresas bem conhecidas como a Airbnb. Segundo a CNBC, que partilha uma entrevista em vídeo com um dos fundadores da Veniam, a empresa portuguesa está avaliada em 27 milhões de dólares (cerca de 24 milhões de euros). 
 


Em conjunto, diz a CNBC, estas 50 empresas já geraram lucros de 41 mil milhões de dólares (36 mil milhões de euros) e têm um valor de mercado na ordem dos 215 mil milhões de euros. Apesar de serem jovens empresas, “já é difícil imaginar o mundo sem elas”, conclui o texto que acompanha a lista.
 
Em Março de 2012, Susana Sargento, investigadora do Instituto de Telecomunicações (IT) da Universidade de Aveiro (UA), co-fundou com João Barros, da Universidade do Porto, a empresa Veniam.
 
 A Veniam utiliza a conetividade entre veículos, objetos móveis e utilizadores finais para ampliar a cobertura de rede WiFi a custos reduzidos, implantando redes veiculares nas cidades que transformam carros, autocarros ou camiões em 'hotspots' (pontos de acesso) WiFi móveis.
 
O objetivo da empresa é, portanto, transformar frotas de veículos, públicos ou privados, em redes ativas, sem que haja uma dependência das redes móveis. 

Em 2014, esta start-up tecnológica portuguesa conquistou um investimento de 4,9 milhões de dólares (cerca de 3,9 milhões de euros) por parte de um consórcio liderado pela empresa norte-americana de capital de risco True Ventures. 

Em Fevereiro de 2016, a Veniam conseguiu captar um investimento de 22 milhões de dólares (cerca de 20 milhões de euros) de um consórcio liderado pela Verizon Ventures, com a participação da Cisco Investments, da Orange Digital Ventures e da Yamaha Motor Ventures.

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub