Sociedade

Dupla portuguesa cria rede social lusófona para o mundo

Um jornalista e um programador web querem unir os portugueses de todo o mundo numa única plataforma virtual. Para isso, criaram a Olláa +, uma rede social lusófona que tem por objetivo reunir os falantes da língua portuguesa dos quatro cantos do mund
Versão para impressão
Um jornalista e um programador web querem unir os portugueses de todo o mundo numa única plataforma virtual. Para isso, criaram a Olláa +, uma rede social lusófona que tem por objetivo reunir os falantes da língua portuguesa dos quatro cantos do mundo num único sítio online. 
 
A nova ferramenta abriu para testes em Junho deste ano e, atualmente, já conta com mais de 900 membros ativos. Idealizada por Luís Bizarro, de 54 anos, a Ollá+ visa potencializar as trocas culturais e intelectuais entre os portugueses espalhados pelo mundo.
 
“A função do Ollá+ é proporcionar um espaço comum, onde os membros possam visitar quando entenderem, ao seu ritmo, e desfrutar das possibilidades que a rede oferece”, explica o jornalista natural de Braga, que sublinha que não criou a plataforma para competir com o Facebook, até porque isso seria “uma gigantesca estupidez”. 
 
A intenção da rede é ser uma plataforma social de expressão lusófona, com abrangência em todos os países de língua portuguesa e também entre os imigrantes desses países e os estrangeiros falantes da língua.
“O objetivo é estabelecer pontes de conhecimento, cultural, social e empresarial entre todos os que pertencem à grande comunidade global que fala português”, refere.
 
A ideia nasceu quando, no início do ano, um amigo brasileiro lhe pediu para ajudar a uma amiga universitária que ia a Braga participar num seminário na Universidade Católica. 
 
“Na verdade, ela não precisou de mim, pois já tinha todas as informações e mais algumas. Ainda assim, fizemos amizade, trocámos ideias, falámos dos nossos países, das respetivas culturas, política, e tudo em português, sem necessidade de falar outra língua que não a nossa”, salienta Luís.
 
O programador que executou o projeto é Jorge dos Santos, que vive no Porto. Devido à distância que separa a dupla, o trabalho é feito via telefone e internet, tendo a divulgação do projeto sido feita exclusivamente por via de Facebook, grupos de interesse ligados a arte, cultural, universidades, entre outros.
 
Até à data, Luís Bizarro estima ter sido necessário um investimento de 5.000 euros para executar o projeto, tanto para gastos como para compra de aplicações, alojamento do projeto na rede, domínio, e tempo de trabalho investido na programação.

Aceda AQUI à rede social Ollá+.

Notícia sugerida por Maria da Luz e Maria Pandina

Comentários

comentários

Pub

Aid Global

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub