Imagem: Tânia Neves
Em Destaque Turismo

Dia Mundial do Ambiente: Dicas de viagens “amigas” do ambiente

Tânia Neves, fotografa, viajante profissional e líder The Wanderlust dá algumas sugestões de como viajar de forma mais consciente e ecológica.
Versão para impressão

por Tânia Neves

Numa altura em que muito se fala de sustentabilidade e de alternativas amigas do ambiente, a verdade é nem todos optam por estas soluções quando estão de férias ou quando viajam. Ao longo das minhas viagens, fui vendo e aprendendo soluções que são apenas substituições de coisas que fazemos sempre nas nossas viagens.

Hoje celebra-se o Dia Mundial do Ambiente, e assumindo a nossa responsabilidade como viajantes responsáveis, deixo aqui as dicas práticas de pequenos hábitos que adequei para que as nossas viagens também sejam mais amigas do ambiente.

TRANSPORTES
– Sempre que possível, viajo por terra em vez de avião. Os voos são muito mais poluentes para o ambiente, apesar da comodidade de serem mais rápidos.
– Se tiver que voar, escolho os itinerários com menos escalas possíveis, já que é no take-off e na aterragem que as emissões de CO2 são bastante superiores.
– Levar pouco peso na mala. O que é que isto tem a ver com transportes? Bem, quanto mais pesados os aviões, maior a emissão de CO2. Se cada um dos passageiros levasse apenas o que fosse estritamente necessário, no geral as emissões seriam bastante mais baixas.
– Usem os transportes locais em vez de táxis, ou aluguem bicicletas para explorar as cidades.

HIGIENE
– Substituí os meus produtos de cosmética e higiene por produtos de matérias naturais e não poluentes. Além de serem mais eco-friendly na sua produção, são mais amigos do ambiente também no seu uso. Em muitos países o sistema de drenagem é ineficaz ou inexistente, o que significa que muitos dos resíduos dos nossos hábitos de higiene vão parar directamente ao solo e às redes de água naturais, tendo um impacto negativo directo na natureza e na fauna existente.
– O uso de um copo menstrual em vez de pensos higiénicos ou tampões – além de serem muito mais económicos (o mesmo copo menstrual pode durar até cinco anos) o impacto no meio ambiente é gigantesco, pois por norma estes produtos são feitos apenas de materiais plásticos e sintéticos, não biodegradáveis, altamente poluentes.
– Tomar duches em vez de banhos – reduzem cerca de 80% água!

CUIDADOS COM A ROUPA
– Quando tenho que lavar a roupa em máquina, tento sempre fazer as máquinas cheias, para poupar água e energia. Em viagem, quando a roupa é pouca, procuro sempre quem queira partilhar uma máquina comigo – além de ficar mais económico, é mais amigo do ambiente
também!
– A escolha por produtos não poluentes é a solução mais óbvia.
– Como faço muitas viagens em autonomia, mas gosto de ter a roupa lavadinha, tenho um saco especifico para lavar a roupa (chama-se Scrubba, acho que é a única marca no mercado!), que permite lavar a roupa como se fosse uma máquina, mas sem ter que usar água corrente. Assim poupo água, dinheiro (não tenho que usar serviços profissionais de lavandaria), e com o sabão adequado, não poluo o ambiente também!

ALIMENTAÇÃO
– Quer em viagem quer em Portugal, opto sempre por produtos locais e da época. São mais saudáveis, e têm um menos impacto ambiental se tiverem menos transportação. Pontos extra se comprar directamente ao produtor!
– Ter o cuidado de comprar alimentos avulso, e não pré-embalados – usam muito menos práticos e outros materiais poluentes, temos menos desperdício alimentar, e por norma também são muito mais baratos!
– Não comprem águas engarrafadas, usem um cantil e encham sempre que possível. Em quase todos os destinos há água potável disponível, de graça ou a baixo custo.
– Quando não encontrarem água potável, façam a própria água potável. Em vez das pastilhas de purificação, altamente embaladas, levem um conta-gotas com lixívia pura. Duas gotas de lixívia por cada litro de água (de qualquer proveniência) faz com que esta seja água potável. Preparem as vossas garrafas pela manhã, para terem água disponível o dia todo.
– Trazer sempre um saco de pano para as vossas compras (tanto em viagem como em casa), assim evitam-se os sacos de supermercado.
– Substituam as pastilhas elásticas por smints.

SOUVENIRS
– Evito a todo o custo comprar souvenirs, especialmente naquelas lojas que estão completamente atoladas de ímans, postais e canecas. Os melhores souvenirs são aqueles produtos de artesãos locais, que usam matérias locais. Caso contrário podem estar a comprar um íman “made in China” quando estão nas Américas. Nada contra os produtos “made in China”, mas estes apenas são eco-friendly se os comprarem na China
– Também deixei de comprar mapas e guias de viagem em livro – na era da internet, faz sentido ter tudo nos nossos smartphones. Além de muito mais prático, reduzem substancialmente o peso da mala (podem levar uma biblioteca inteira no telefone).

ALOJAMENTOS
– Deixem claro que não querem que vos troquem as toalhas nem os lençóis do hotel todos os dias. O que antigamente era visto como um serviço de luxo, hoje é comprovado como desnecessário, e pode ajudar a poupar muito o ambiente – com menos máquinas de roupa,
menos detergentes, e menos electricidade.
– Optem por alojamento local, em vez de grandes cadeias. As grandes cadeias por norma usam os mesmos designs, materiais, staff, o que envolve mais viagens, menos produtos locais e menos contratos locais também.

ATIVIDADES
– Quando estiverem a explorar, especialmente nos trilhos de trekking, mantenham-se nas rotas designadas. As rotas são feitas não só a pensar nas pessoas, mas também na natureza. Muitas são as vezes que vejo pessoas passarem fora dos trilhos designados ou até a trespassarem zonas restritas. Estas zonas muitas vezes são inofensivas para os humanos, mas graves para o ambiente. Pensei duas vezes antes de o fazerem! Na Islândia, por exemplo, têm fechado inúmeros pontos de interesse simplesmente por estes actos egoístas dos viajantes, que muitas vezes só procuram um melhor ângulo para as suas fotografias. Mas o impacto directo no ambiente é, muitas vezes, irreversível.
– Em viagens de autonomia usem um painel solar – há inúmeras ofertas no mercado de painéis solares que se podem colocar nas mochilas, permitindo-nos carregar o nosso equipamento enquanto nos deslocamos.
– Levem um saco para recolher todo o lixo que produzem.
– Fumadores, nunca atirem beatas para o chão!
– Não alimentem animais selvagens. Eles são selvagens por uma razão. Alimentar um animal inconscientemente pode levar à sua morte – não o façam!

Para terminar, optem por viajar em grupos pequenos. Viajar com outras pessoas ajuda, não só economicamente, mas também ao meio ambiente, pois irão partilhar transportes, alojamentos, alimentação. Contudo, os grupos grandes usam recursos menos sustentáveis, como grandes autocarros para deslocações, por exemplo. Ao viajarem por agência, escolham uma agência consciente, com uma política ambiental sustentável também, e quando são em grupos pequenos, além de terem mais atenção dos líderes de viagem, sabem também que estão a fazer uma viagem de baixo impacto ambiental e alto envolvimento com a cultura local!

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub