Ciência

Descoberta “fábrica de estrelas” que desafia teorias

O observatório espacial Herschel da Agência Espacial Europeia (ESA) acaba de descobrir uma galáxia extremamente distante que produz estrelas a uma velocidade cerca de 2.000 vezes superior à da Via Láctea e que desafia as teorias atuais.
Versão para impressão
O observatório espacial Herschel da Agência Espacial Europeia (ESA) acaba de descobrir uma galáxia extremamente distante que produz estrelas a uma velocidade cerca de 2.000 vezes superior à da Via Láctea e que terá surgido quando o Universo tinha menos de mil milhões de anos. De acordo com os investigadores, a sua existência desafia todas as teorias de evolução das galáxias constituídas até ao momento. 
 
A galáxia, batizada HFLS3, surge aos olhos dos astrónomos como pouco mais do que um “borrão vermelho e sem brilho”, encontrado a partir de imagens do Herschel Multi-tiered Extragalactic Survey (HerMES), mas é muito mais do que aparenta: é uma verdadeira “fábrica estelar”, que transforma “furiosamente” gás e poeira em novas estrelas, revela a ESA em comunicado.
 
A enorme distância a que se encontra da Terra significa “que a sua luz viajou por mais de 13 mil milhões de anos pelo espaço antes de chegar até nós”, pelo que os cientistas a veem “como existindo no Universo jovem, apenas 880 milhões de anos após o Big Bang, ou seja, quando o Universo tinha apenas 6,5% da sua idade atual”. 
 
Segundo os especialistas, este objeto é um enigma quando comparado com as outras galáxias conhecidas, já que uma galáxia tão massiva não deveria ter aparecido tão pouco tempo após a formação do Universo: na sua juventude, a HFLS3 tinha já, aproximadamente, a massa da Via Láctea, com cerca de 140 mil milhões de vezes a massa do Sol em forma de “estrelas e material 'produtor' de estrelas”. 
 
A expetativa é a de que as primeiras galáxias a formarem-se sejam pequenas e leves, produzindo estrelas a uma velocidade semelhante à que se observa na Via Láctea e crescendo ao alimentar-se de gás do espaço intergaláctico e da fusão com outras galáxias. No entanto, tal não se verifica no caso da HFSL3, que atingiu grandes dimensões rapidamente.


A galáxia HFLS3 foi encontrada inicialmente como um pequeno ponto vermelho (ao centro e assinalado com um círculo nas imagens à direita) encontrado nas imagens dadas pelo observatorio Herschel

Galáxias do género produziram maior parte da matéria atual
 

Os cientistas acreditam que conseguir descobrir a fase do Universo em que as primeiras galáxias “massivas” apareceram poderá revolucionar a teoria da sua evolução, mas confessam que não se trata de uma tarefa fácil. 
 
“Procurar os primeiros exemplos destas enormes fábricas de estrelas é como procurar uma agulha num palheiro, porque a base de dados do Herschel é muito rica”, justifica Dominik Riechers, da Universidade de Cornell, que divulgou a investigação dada a conhecer pela ESA.
 
“As galáxias 'precoces' como a HFLS3 produziram os elementos pesados que construíram as mais tardias gerações de estrelas e galáxias e a maioria da matéria que conhecemos hoje em dia”, acrescenta o investigador, que defende que a existência de um objeto tão peculiar desafia as teorias atuais, que prevêm a obtenção de uma massa tão densa apenas mais tarde.
 
Agora, a equipa de investigação da ESA vai continuar a combinar os dados do observatório Herschel para procurar outros casos semelhantes. “Com estas observações, o Herschel encontrou um exemplo raro de uma galáxia a 'rebentar' de estrelas nascida numa época cósmica em que existiam muito poucas do mesmo género”, salienta Göran Pilbratt, outro dos responsáveis pelo projeto de investigação.
 
“Este facto sublinha a natureza pioneira deste observatório e a sua capacidade de revelar um Universo que, no passado, estava escondido, melhorando a nossa compreensão acerca da formação de galáxias”, conclui.

Clique AQUI para aceder ao resumo do estudo (em inglês), publicado na revista científica Nature, que dá conta desta descoberta.

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub