Cultura

Curta-metragem portuguesa premiada em Cannes

O filme "Gambozinos", do realizador português João Nicolau, ganhou, na sexta-feira, o galardão de melhor curta-metragem na Quinzena dos Realizadores, um evento paralelo ao prestigiado Festival de Cannes.
Versão para impressão
O filme “Gambozinos”, do realizador português João Nicolau, ganhou, na sexta-feira, o galardão de melhor curta-metragem na Quinzena dos Realizadores, um evento paralelo ao prestigiado Festival de Cannes. 
 
A curta portuguesa faz parte das nove que integraram a Quinzena dos Realizadores, que terminou este domingo e que englobou também, na mesma categoria, o filme “Pouco mais de um mês”, do brasileiro André Novais Oliveira, que recebeu uma distinção especial.
 
“Gambozinos”, com uma duração de 18 minutos, conta a história de um rapaz de 10 anos que se debate com a amargura da vida num campo de férias, onde é ignorado pela sua rapariga favorita e onde o seu dormitório é vandalizado por adolescentes.
 
A presença na Quinzena dos Realizadores não é uma estreia para João Nicolau, uma vez que o realizador português tinha já apresentado naquele evento as curtas-metragens “Rapace”, em 2006, e “Canção de Amor e Saúde”, em 2009.
 
De realçar que a longa-metragem francesa “Les Garçons et Guillaumen, à table” foi a grande vencedora da Quinzena dos Realizadores em Cannes, arrecadando o “Art Cinema Award” e ainda o “Prix SACD”.  A obra “The Selfish Giant”, do britânico Clio Barnard, garantiu o “Label Europa Cinemas”. 
 
Criada pela Sociedade dos Realizadores de Filmes, a Quinzena dos Realizadores tem como objetivo descobrir os filmes de jovens autores e saudar as obras de realizadores conhecidos.

Primeira “longa” de João Nicolau estreou em Veneza em 2010
 

João Nicolau, nascido em Lisboa em 1975, realizou o documentário “Calado não Dá” em 1999 e trabalhou em montagem cinematográfica, tendo colaborado em filmes de João César Monteiro, Margarida Gil e Miguel Gomes.
 
A primeira curta-metragem do cineasta português, “Rapace”, que estreou em Cannes em 2006, foi galardoada com o Prémio de Melhor Filme no Festival Internacional de Curtas de Vila do Conde, antecedendo “Canção de Amor e Saúde”, a segunda curta realizada por João Nicolau, que participou também na Quinzena dos Realizadores.
 
Em 2010, João Nicolau finalizou a sua primeira longa-metragem de ficção, “A Espada e a Rosa”, que estreou no Festival de Veneza daquele ano e que narra uma aventura entre o sonho e o surreal, sobre um personagem lisboeta a bordo de uma caravela do século XV.

Clique AQUI para aceder ao site da Quinzena dos Realizadores, onde poderá saber mais sobre todos os filmes selecionados para o evento (em inglês ou francês). 

Notícia sugerida por Maria Manuela Mendes

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub