Inovação e Tecnologia

Criado o primeiro fato português para bombeiros

Um consórcio de empresas portuguesas liderada pelo Citeve (Centro Tecnológico das Indústrias Têxtil do Vestuário) e a Unilever Jerónimo Martins deu a conhecer dois protótipos de um fato de bombeiro inteligente que contribuirá para uma maior segurança
Versão para impressão
Um consórcio de empresas portuguesas liderada pelo Citeve (Centro Tecnológico das Indústrias Têxtil do Vestuário) e a Unilever Jerónimo Martins deu a conhecer dois protótipos de um fato de bombeiro inteligente que contribuirá para uma maior segurança dos profissionais e para um mais eficaz combate aos incêndios em território nacional.

Chama-se PT 2.0, é um dos mais avançados do mercado e depois de onze meses de investigação e milhares de euros investidos está pronto para receber certificação já no próximo mês.

De acordo com comunicado oficial do Citeve, o primeiro protótipo do PT 2.0 tem uma composição leve e confortável, com “uma estrutura multicamada e uma configuração multifuncional (mais versátil), que possibilita a sua adequação ao combate de fogos urbanos e florestais”.         

A segunda versão tem uma abordagem totalmente inovadora, na medida em que incorpora um sistema eletrónico que monitoriza e alerta o utilizador para a temperatura envolvente e os níveis de monóxido de carbono. Este segundo protótipo deverá ser ainda testado para optimizar a resistência dos componentes tecnológicos em situações extremas.

Neste momento, os fatos usados pelos bombeiros portugueses são importados ou somente montados em Portugal e têm um preço variável entre os 150 ou 600 euros. De acordo com Hélder Rosendo da Unilever questionado pelo jornal i, o preço do PT2.0 deverá rondar os 750 a 800 euros.

Apesar do preço elevado, o consórcio acredita que o PT 2.0. vai ser alvo de elevada procura, dada a qualidade do produto, algo com que concorda a Liga dos Bombeiros Portugueses.

O fato vai ser comercializado pela empresa Actijob, mas é fruto da colaboração entre várias empresas e entidades nacionais – um consórcio que envolve o CITEVE, o CENTI (Centro de Nanotecnologia e Materiais Técnicos, Funcionais e Inteligentes), e as empresas têxteis A. Sampaio & Filhos, António de Almeida & Filhos e Lemar.

Comentários

comentários

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório