Negócios e Empreendorismo

CPLP: Exportações para a China aumentaram 21%

As trocas comerciais entre a China e os países de língua portuguesa aumentaram 19% e as exportações da CPLP para aquele país asiático cresceram 21%, nos três primeiros meses deste ano.
Versão para impressão
As trocas comerciais entre a China e os países de língua portuguesa aumentaram 19% e as exportações da CPLP para aquele país asiático cresceram 21%, nos três primeiros meses deste ano, indicam dados divulgados esta quarta-feira.

De acordo com as estatísticas dos Serviços da Alfândega da China, Pequim comprou aos oito países do universo lusófono bens no valor de em 19,2 mil milhões de dólares (14,5 mil milhões de euros), mais 21 por cento (%) do que o apurado entre Janeiro e Março do ano passado.  

Por outro lado, a segunda maior economia mundial exportou para a lusofonia produtos avaliados em 8,6 mil milhões de dólares (6,5 mil milhões de euros), montante que reflete uma subida anual na ordem dos 16 por cento. No total, as trocas comerciais atingiram um valor de 27,8 mil milhões de dólares norte-americanos (21 mil milhões de euros).

Portugal vendeu mais 73,8% por cento à China

Para Portugal, o terceiro parceiro comercial da China na lusofonia, seguiram mercadorias chinesas avaliadas em 534 milhões de dólares (403,9 milhões de euros) até Março – menos 22,8 por cento do que no período homólogo de 2011 – contra compras chinesas no valor de 374 milhões de dólares (283 milhões de euros), mais 73,8 por cento do que nos primeiros três meses do ano passado.  

Não obstante a significativa subida das compras chinesas a Portugal, as trocas comerciais luso-chinesas cresceram apenas 0,13 por cento até Março, para um total de 908 milhões de dólares (687 milhões de euros), contrariando ainda assim o recuo, em termos anuais, apurado nos dois primeiros meses do ano.

Brasil e Angola são os principais parceiros chineses

O Brasil manteve-se, nos primeiros três meses de 2012, como o principal parceiro lusófono da China, com um volume de trocas comerciais de 17,9 mil  milhões de dólares (13,6 mil milhões de euros), valor que traduz uma subida  de 11,6 por cento face ao período homólogo do ano passado.  

As exportações da China para o Brasil totalizaram 7,2 mil milhões de dólares (5,5 mil milhões de euros) – mais 19 por cento do que nos primeiros  três meses de 2011 -, enquanto os bens adquiridos pelo gigante asiático ao Brasil alcançaram 10,7 mil milhões de dólares (8,1 mil milhões de euros), o equivalente a um aumento anual de 7,1 por cento.  

Com Angola, o segundo parceiro chinês entre os países de língua portuguesa, as trocas comerciais cifraram-se em 8,6 mil milhões de dólares (6,5 mil  milhões de euros), na sequência de um crescimento de 40,5 por cento relativamente  aos primeiros três meses de 2011.  

As aquisições chinesas sofreram, entre Janeiro e Março deste ano, uma subida anual de 41,6 por cento, para 7,9 mil milhões de dólares (6 mil milhões  de euros), ao passo que as vendas de bens a Angola traduziram um acréscimo  anual superior a 29 por cento, totalizando 678 milhões de dólares (513 milhões  de euros). 

Os dados divulgados incluem São Tomé e Príncipe, apesar do país manter ligações com Taiwan e não participar diretamente no Fórum Macau.

[Notícia sugerida por Sofia Baptista]

Comentários

comentários

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório