Em Destaque Negócios e Empreendorismo

Comércio de rua está a crescer nos bairros residenciais de Lisboa

Campo de Ourique e Alvalade são cada vez mais procurados
Versão para impressão
por redação

Apesar de continuar muito dinâmico nas zonas “prime” onde os fluxos de turistas são mais intensos, o comércio de rua em Lisboa está a crescer também em bairros residenciais consolidados, afirma o estudo da JLL “Portugal Market Pulse” do 1º trimestre 2017.

São os casos de Alvalade e Campo de Ourique, cada vez mais procurados por conceitos novos direcionados ao dia a dia dos seus residentes.

“São ambas zonas residenciais maduras, que sempre tiveram uma vida de bairro muito dinâmica. As pessoas continuam a viver muito a rua nestes dois bairros e, numa altura em que há uma crescente tendência para o consumo de proximidade, são muitos os retalhistas que percebem o potencial destas zonas e têm vindo a instalar-se aqui, complementando o comércio tradicional que já existe e contribuindo para a sua modernização”, comenta Patrícia Araújo, Head of Retail da JLL Portugal.

De acordo com a JLL, além de áreas mais dinâmicas como a restauração, comércio de frescos e retalho alimentar, nestes dois bairros há também cada vez mais lojas, novas ou remodeladas, que representam uma novidade em termos de espaço, oferta ou experiência, sendo este fator de novidade um forte atrativo do comércio local.

É o caso de Campo de Ourique, onde o renovado mercado funciona como âncora, com os produtos gourmet a coabitar com os tradicionais, transformando uma ida ao local numa experiência interessante. Com comércio de conveniência, vestuário e decoração a predominar na oferta existente, este é um bairro de densidade residencial muito significativa e muito direcionado para primeira habitação das famílias portuguesas, apresentando uma oferta residencial de gama média-alta com preços entre os 3.000 e os 5.500 euro/m2, apura ainda o estudo da JLL.

Em Alvalade, na zona das Avenidas Novas, o comércio é bastante abundante, com diversas lojas de conveniência e restauração. O conforto, o fácil acesso e a própria morfologia da zona – com ruas planas e fáceis de caminhar – favorecem o convívio e o fluxo de consumidores. Igualmente uma zona residencial madura, Alvalade é também um bairro familiar de primeira habitação, com uma oferta de casas de gama média-alta.

No seu estudo referente à performance do mercado imobiliário no 1º trimestre de 2017, a consultora dá ainda conta de que as principais zonas de comércio de rua de Lisboa e Porto continuam a beneficiar do crescimento do turismo. Na capital, nos principais eixos do Chiado e da Baixa, a procura mantém-se superior à oferta de espaços, causando alguma pressão nas rendas especialmente no primeiro caso.

O Portugal Market Pulse é um relatório trimestral produzido pela JLL, onde a consultora analisa o desempenho do mercado imobiliário português, com foco nos segmentos de escritórios e retalho, habitação e hotelaria, além do investimento.

 

Comentários

comentários

Pub

Aid Global

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub